Camilla Uckers deve entrar com ação contra médico

Camilla teve uma infecção generalizada, após procedimento para implantar silicone no glúteo

Polêmica que tomou conta das redes sociais em repercussão nacional desde a última sexta-feira (12), o resultado do implante de silicone realizado no glúteo pela youtuber cearense Camilla Uckers assustou internautas e gerou o alerta para os possíveis riscos das cirurgias plásticas. Quase um mês após o procedimento, feito no dia 12 de dezembro, Camilla teve uma infecção generalizada, precisando retirar as próteses com urgência. A paciente, que ainda está em fase de recuperação, moverá ação judicial contra o profissional que realizou o procedimento.

A informação, anunciada por Camilla nas suas redes sociais, foi confirmada ontem por seu advogado, Davi Pinheiro, esclarecendo se tratar de uma ação no âmbito criminal e outra administrativa, junto ao Conselho Regional de Medicina do Ceará (Cremec-CE). Detalhes do processo, no entanto, ainda não estão definidos. "Todas as análises acerca do caso estão sendo feitas para que não se cometa alguma falha no requerimento dos direitos dela", afirma.

> Autoexposição de Camilla Uckers nas redes sociais é questionada

No momento, conforme destaca, a cearense se mantém debilitada e em repouso total, mas busca outros profissionais médicos para averiguar quais serão as sequelas do procedimento realizado. Além da infecção, a youtuber teve uma inflamação do nervo ciático, principal nervo dos membros inferiores, impedindo-a de andar.

De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgias Plásticas - Regional Ceará (SBCP-CE), Giovanni Martins, a infecção pode acontecer em qualquer cirurgia, não implicando necessariamente numa falha técnica. "Quanto ao nervo ciático, ela pode ter tido uma compressão, talvez por um volume de prótese maior do que o corpo podia suportar", revela.

Além da prótese nos glúteos, Camilla fez, no mesmo dia, rinoplastia e lipoaspiração na barriga, costas e pernas. Ainda que isso tenha sido colocado em questão pela youtuber, Giovanni Martins relata não ter um peso mínimo para que o procedimento seja realizado. "Eu, particularmente, acho que não tinha o que aspirar, por que ela já é bem magra. Mas se foi um procedimento pequeno, só para gordura localizada, não há problema".

Giovanni afirmou, contudo, que a transfusão de sangue realizada durante a cirurgia foi um fator estranho, ainda não explicado. "Acredito que ela pode ter sido lipoaspirada demais ou durante a cirurgia da prótese ter acontecido um sangramento abundante". Além disso, o presidente relata ser um risco realizar uma cirurgia de prótese combinada a uma potencialmente contaminada, como a rinoplastia.

Camilla Uckers afirmou que os procedimentos foram realizados por meio de permuta - para que ela divulgasse o cirurgião em suas redes socais - o que segundo o Cremec-CE, fere o Código de Ética Médica, podendo resultar em punição. As penalidades, conforme o órgão, vão de uma simples advertência até a cassação do registro profissional, dependendo da gravidade do caso. "O médico não pode colocar o seu serviço em troca de algo, como propaganda. Normalmente, há uma denúncia, que pode ser provocada pela parte que se sentiu lesada, e é feita uma apuração como um processo. Pedimos documentação, testemunhas e o médico tem direito a ampla defesa", explica Helvécio Feitosa, vice-presidente do Cremec-CE

De acordo com Giovanni Martins, todas as cirurgias demandam um cuidado especial, mas a do glúteo, por ser mais recente, tem maior grau de complexidade. "Com a prótese de glúteo, você tem que evitar grandes esforços, exige que o paciente tenha repouso, que não faça agachamento, que deite de bruços, e não em cima da prótese. O tempo de recuperação varia de acordo com o médico, mas em geral é de um mês a 45 dias".

Giovanni Martins, no entanto, critica a forma como a cearense vem repercutindo o caso, classificando como um desserviço, por "denegrir a reputação de um médico". O presidente da SBCP-CE lamenta e teme que isso possa ter uma "repercussão imensurável", afetando o mercado de cirurgias plásticas.

Demanda

A demanda, contudo, não para de crescer. Em sete anos, o número de cirurgias plásticas no Brasil mais que dobrou, passando de 629.000 procedimentos realizados em 2009 para 1.472.435 no ano de 2016, entre cirurgias estéticas - a grande maioria - e reparadoras. Os dados, do Censo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), revelam que o aumento da mama foi o procedimento mais realizado em 2016, seguido da lipoaspiração e da dermolipectomia abdominal.

De acordo com Ricardo Madero, presidente da Comissão de Saúde da Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE), diante de insatisfação de um atendimento médico, o paciente tem direito de procurar seus direitos judicialmente. Contudo, expor o médico publicamente e emitir opiniões próprias, abre a possibilidade do enfermo responder civil e criminalmente por difamação e injúria. "Caso seja provado a culpa do médico, ele responde civilmente pelos seus atos, sendo obrigado a pagar uma indenização por danos morais", esclarece Ricardo.

A assessoria de comunicação do médico Danilo Dias, responsável pelos procedimentos de Camilla, informou ao Diário do Nordeste, por e-mail, que todos os cuidados pré e pós operatórios foram tomados pela equipe de profissionais, não tendo havido falha na cirurgia. A assessoria destaca, também, que os procedimentos não foram realizados por permuta e que "infecções são causadas por bactérias, e não devido a técnicas cirúrgicas, e podem ocorrer 20 dias depois da cirurgia como decorrência de vários fatores externos".

Segundo destaca, o médico Danilo Dias atua há mais de dez anos como cirurgião plástico, sendo membro titular da SBCP e jamais tendo sido condenado em nenhum processo. A transfusão de sangue recebida por Camilla, acrescenta, ocorreu para uma melhor recuperação pós-operatória, pois a paciente estava tomando um medicamento anticoagulante para prevenção de trombose e embolia pulmonar.

Saiba mais

Repercussão nas redes

Stories Camilla Uckers Print

Após passar mal e ter o implante de silicone retirado com urgência, a youtuber cearense Camilla Ucker passou a compartilhar, com seus seguidores na internet, a rotina de sua recuperação em vídeos postados diariamente. Muitos deles deram detalhes de como todo o processo ocorreu, assim como a difícil recuperação, ainda em andamento, com o consumo de diversos remédios e calmantes para dormir. Em textos, Camilla também passou a acusar o médico que fez sua cirurgia, exibindo prints de conversas mantidas entre os dois, assim como o relato de alertas para que as pessoas tomem os cuidados necessários na realização de procedimentos cirúrgicos. Em diversos momentos, a cearense também se mostrou ansiosa por retornar logo a andar

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza