Atendimento de pacientes com síndromes gripais já supera pico da segunda onda nas UPAs de Fortaleza

Prefeito falou ainda sobre profissionais de saúde afastados por doença

Escrito por Redação,

Metro
Prefeito falou das atuais ações de enfrentamento contra a Covid-19 e demais doenças respiratórias
Legenda: Prefeito falou das atuais ações de enfrentamento contra a Covid-19 e demais doenças respiratórias
Foto: Divulgação/Prefeitura de Fortaleza

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), na Capital, voltaram a registrar grande procura por atendimentos para casos de Síndromes Gripais (SGs). Conforme a secretária de saúde de Fortaleza, Ana Estela Leite, os equipamentos hospitalares já recebem 1,2 mil pessoas. O número é considerado um recorde e supera o pico da segunda onda. As informações foram repassadas em live, nesta quarta-feira (12).

"Nós tivemos nas Upas, no dia máximo da segunda onda, 600 atendimentos por dia. Nós observamos mais de 1,2 mil. Uma demanda aumentada muito grande, assistencial, na porta. Embora, felizmente, a demanda de internação ela é bem inferior ao que aconteceu nas demais ondas, mas observamos um aumento", declarou a secretária. 

Ainda segundo o prefeito, os dados do município demonstram aumento de internações em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e enfermaria. "A demanda por enfermaria e UTI no dia 10 de dezembro eram 6 pacientes. Um mês depois 18 pacientes".

Veja transmissão:

Ainda em live, o prefeito apresentou dados referentes ao aumento dos atendimentos em um mês. Em 10 de dezembro de 2021, nas Upas, foram feitos 266 atendimentos. Um mês depois, o número subiu para 1.081. 

Nas unidades básicas de saúde (postos de saúde), no dia 10 de dezembro de 2021, eram 390 atendimentos. Em 10 janeiro de 2022, o número subiu para 2.939.

Ações de enfrentamento do município:

Durante a transmissão, Sarto e Ana Estela explicaram ainda as ações que estão sendo desenvolvidas por Fortaleza para enfrentar o aumento de casos.

- Mantido 12 postos de  saúde sentinela: unidades são referência para atendimento de síndromes gripais. A ideia é ampliar a depender da demanda, declarou o prefeito

- Testagem de Covid-19 em todos os postos de saúde e ampliando nas Upas

- Equipes 24h no aeroporto em parceria com estado para fazer testagem

- Posto de saúde estão atendendo de 7h às 19h: com uso de oxímetro, teste rápido e RT-PCR

- Aquisição de 71.425 testes rápidos para detecção do Covid-19

Na primeira onda, a dificuldade, inicialmente, foi adquirir EPIs, proteção para os profissionais de saúde e estruturação de leitos. Na segunda onda nós tivemos uma grande dificuldade que foram insumos do kit de entubação. E, agora, na terceira onda, ela vem acompanhada de uma coocirculação de outros vírus, tem covid, você tem vírus da gripe, você tem rinovírus, vírus sincicial respiratório  que tá explodindo.
Ana Estela Leite
Secretária de Saúde de Fortaleza

Profissionais de saúde estão adoecendo

De acordo com a secretária de saúde, o município ainda sofre com o adoecimento de profissionais de saúde. 

"Imagine 116 postos, de 1 a 10 de janeiro, 600 profissionais se afastaram. Na rede hospitalar, dos nossos nove hospitais, tirando o Instituto Doutor José Frota (IJF), foram 700 afastamentos, além da equipe do administrativo", ressaltou Ana Estela. 

Segundo o prefeito, o município iniciou atendimento a demanda com a contratação de 57 médicos do programa "Médicos Família Fortaleza" para compor equipes.