Aeroporto de Fortaleza recebe sanitização; higienização também é realizada no Mercado dos Peixes

A operação no Aeroporto aconteceu em parceria com o Exército Brasileiro no Terminal dos Passageiros

Escrito por Redação,

Metro
Legenda: Escadas rolantes e áreas de acesso comum entre passageiros passaram por sanitização
Foto: Divulgação / Fraport Brasil

O Aeroporto de Fortaleza recebeu nos dias 26 e 27 de maio uma sanitização no Terminal de Passageiros em parceria com o Exército Brasileiro como forma de reforçar as medidas de segurança durante a pandemia do novo coronavírus. Cerca de 50 militares do Exército participaram da operação que durou quase 5h para desinfectar check-in, salas de embarque e desembarque, esteiras de bagagens, praça de alimentação e espaços utilizados por órgãos federais. 

“Estamos fazendo o nosso melhor e seguindo todas as orientações dos órgãos de saúde e órgãos reguladores de forma a oferecer um ambiente confortável e adequado para a circulação dos passageiros”, afirma Andreea Pal, presidente da Fraport Brasil.

Outras medidas também foram adotadas pelo local desde o início da pandemia, a exemplo do uso de máscaras e marcadores de distanciamento seguro afixados, alertas sonoros e em vídeo sobre as formas de prevenção e disponibilização de álcool em gel.

Além disso, foi organizada uma área de quarentena para casos suspeitos, o posto médico foi disponibilizado para atender emergências em saúde pública, e barreiras sanitárias - por meio da medição da temperatura dos passageiros no desembarque - são realizadas em parceria com a Secretaria de Saúde do Estado do Ceará.

Os cuidados seguem nas aeronaves mais modernas que são equipadas com um sistema chamado filtro de ar HEPA, capaz de filtrar 99,7% das partículas do ar que circula nas cabines a cada três minutos, de acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). 

Mercado dos Peixes também recebe higienização

Legenda: Limpeza das lixeiras subterrâneas do Mercado
Foto: Kilvia Muniz

O Mercado dos Peixes, no bairro Mucuripe, recebe às segundas e quintas-feiras uma higienização profunda como uma das medidas de combate ao novo coronavírus. Para a ação, é utilizado um caminhão-pipa com capacidade para 40 mil litros de substâncias higienizantes: água, sabão e cloro. 

Em funcionamento apenas para a comercialização, as limpezas no local são realizadas nos espaços dos boxes, no estacionamento e nas lixeiras subterrâneas do mercado, as quais têm capacidade para até quatro mil litros de lixo. 

Segundo Pablo Melo, administrador do mercado, essa higienização sempre foi uma preocupação, mesmo antes da pandemia. "Sempre mantemos higienização para tirar o cheiro característico do peixe, de pescado. Com a pandemia, o que fizemos foi intensificar e continuar vigilantes com relação a essa limpeza", afirma. 

As medidas de segurança se estendem aos permissionários do local com o uso de EPI's e manutenção da higienização dos boxes, conforme consta no termo da permissão. 

"Eles têm de manter o box limpo, sem insetos e com todas as condições para que o pescado chegue da melhor forma possível para o consumidor", explica Pablo. 

Durante a pandemia, o mercado funciona de 7h às 16h com a venda de peixe, camarão e crustáceos. Os restaurantes estão fechados, mas a comercialização segue com todas as medidas de segurança.