Maurício Souza é demitido do Minas Tênis Clube após publicações homofóbicas

A informação foi confirmada pelo time

Jogador de vôlei Maurício Souza
Legenda: Maurício Souza foi multado e afastado do Minas Tênis Clube por tempo indeterminado após comentários homofóbicos nas redes sociais
Foto: Reprodução / Internet

Após publicações homofóbicas, o jogador de vôlei Maurício Souza foi demitido do Minas Tênis Clube. A informação foi confirmada no perfil oficial do time, no Twitter, na tarde desta quarta-feira (27). 

Print do Twitter
Foto: Reprodução Twitter

O atleta já havia sido multado e afastado do clube por tempo indeterminado nesta terça-feira (26). O clube, inclusive, foi cobrado por patrocinadores para tomar "medidas cabíveis".

Dentre as medidas adotadas pelo Minas Tênis Clube, o atleta também deveria se retratar publicamente. Ele pediu desculpas, mas escolheu uma conta com o menor número de seguidores publicar a declaração. 

Renan dal Zotto diz ser "inadmissível" e fecha as portas para o atleta 

Em entrevista ao jornal O Globo, Renan dal Zotto, técnico da seleção brasileira de vôlei, criticou as falas do atleta. "É inadmissível este tipo de conduta do Maurício e eu sou radicalmente contra qualquer tipo de preconceito, homofobia, racismo", disse. 

"Em se tratando de seleção brasileira, não tem espaço para profissionais homofóbicos. Acima de tudo preciso ter um time e não posso ter este tipo de polêmica no grupo. Não me refiro apenas ao elenco dos atletas. É geral, para todos os profissionais", avaliou. 
 

Comentários homofóbicos

Nas redes sociais, o jogador criticou o anúncio da editora DC Comics sobre o novo Super-Homem se descobrir bissexual nas próximas edições dos quadrinhos.

  

"Ah, é só um desenho, não é nada de mais'. Vai nessa que vai ver onde vamos parar", escreveu Maurício Souza, em uma primeira publicação sobre o assunto.

Depois, após críticas, voltou ao tema: "Hoje em dia o certo é errado, e o errado é certo... Não se depender de mim. Se tem que escolher um lado, eu fico do lado que eu acho certo! Fico com minhas crenças, valores e ideias", afirmou. 

Manifestação dos atletas

Após o manifesto dos patrocinadores do Minas Tênis Clube, o ponteiro Douglas Souza, do Vibo Valentia, da Itália, e da Seleção Brasileira, que faz parte da comunidade LGBTQIA+, agradeceu o posicionamento, citando que “homofobia não é liberdade de expressão ou opinião”.

Quem também se pronunciou foi a ex-líbero e bicampeão olímpica Fabi Alvim, relatando que "homofobia é crime!".

 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte

Assuntos Relacionados