Confira 5 dicas para começar o seu negócio sem precisar pedir demissão

Separando algumas horas do dia e começando com produtos baratos, o empreendedor pode entrar no mundo dos negócios mesmo já tendo um emprego de carteira assinada

Empreendedorismo
Legenda: A organização é a chave para a evolução de um negócio
Foto: Shutterstock

Ser o próprio chefe tem suas vantagens, mas quem disse ser preciso pedir demissão para começar o próprio negócio? Quando empreender se torna um sonho, é hora de arregaçar as mangas e começar a planejar.  

Para isso, é preciso separar algumas horas do dia para desenvolver o projeto. Conciliar um vínculo formal de trabalho e a iniciativa empreendedora pode dar mais segurança durante os primeiros meses do novo negócio que, por vezes, são os mais difíceis.  

Por isso, Jonny Oliveira, articulador do Sebrae/CE, dá dicas para quem quiser entrar agora no mundo dos negócios, mesmo já tendo um emprego de carteira assinada. 

Não é preciso pedir demissão 

Ninguém é obrigado a abrir mão do emprego fixo para se dedicar ao um novo negócio. No entanto, é preciso considerar a necessidade de tempo para se dedicar ao projeto. 

“Você pode escolher trabalhar nisso apenas a noite ou no final de semana, contanto que não atrapalhe o seu expediente. Essas horas de dedicação servem para que você possa montar a estratégia do seu negócio”, afirma Oliveira. 

Além disso, com a internet disponível para a maioria das pessoas, empreender no horário após o trabalho ficou mais fácil. Dessa forma, é possível montar lojas virtuais, vender cursos online e fazer trabalhos avulsos sem sair de casa.  

Não precisa de muito dinheiro 

É possível começar com produtos baratos, como doces ou revista de catálogo. O problema é que, por vezes, o empreendedor acredita que só pode começar depois de investir em cursos ou equipamentos caros, o que não é necessário - embora haja riscos. 

“As pessoas não podem gastar para depois ver se dá certo. O movimento é justamente o contrário. Veja se dá certo para depois gastar. Comece pequeno, com poucas coisas. Não precisa investir em tantos equipamentos, isso acontece com o tempo. Se for errar, que seja rápido e barato”, explica. 

Aproveite as redes de amizades  

Pode-se começar a vender para a família, os vizinhos, os amigos, inclusive, da empresa. No entanto, Jonny alerta para a necessidade de observar as regras do local de trabalho - saber se é possível vender para os colegas, se não é um produto similar ao que a empresa vende, entre outros.  

Essas primeiras vendas são os primeiros passos para o entendimento de como funciona uma pequena empresa, já provendo o empreendedor de um fluxo de caixa e habilidades essenciais para gerir o negócio. Oliveira recomenda aproveitar o momento para guardar dinheiro, já prevendo os próximos passos. 

Estabeleça metas 

Ter metas é fundamental para o crescimento do negócio. Mesmo em um pequeno empreendimento, os objetivos mensais, trimestrais ou semestrais são ferramentas que impulsionam a dedicação do empreendedor nas vendas. 

“Afinal, quanto espero ganhar com isso no primeiro mês? Todo negócio tem risco, por isso é necessário planejar para reduzir ao máximo os erros”, alerta Oliveira. 

O articulador também pediu que os empreendedores tenham paciência com seus projetos. “Nada acontece da noite para o dia, o desafio é constante”, acrescenta. 

Se pedir demissão, tenha dinheiro guardado 

Caso o empreendedor opte por deixar o emprego fixo para se dedicar integralmente à nova empreitada, é preciso juntar um “colchão financeiro” - um valor que garanta o sustento por pelo menos um período de 3 a 4 meses. 

“O seu negócio pode ser muito bom, mas pode não dar lucro logo no primeiro mês. No segundo mês, pode ser um pouco melhor e assim vai crescendo. Um projeto não é tão lucrativo no início”, explica Jonny. 

Quero receber conteúdos exclusivos do Vem Empreender