Como empreender gastando pouco

Confira dicas e recomendações para quem quer abrir um negócio com pouco dinheiro.

abrir empresa
Legenda: O volume do recurso inicial vai depender do tipo de empresa que se deseja abrir e o mercado que se pretende alcançar.
Foto: Banco de Imagens

Iniciar um empreendimento, seja qual for o porte, é um desafio. Mais ainda se o capital inicial for mínimo para começar o negócio. Mas afinal, dá para empreender gastando pouco?

Para Alice Mesquita, Assessora Executiva do Sebrae-CE, a resposta é sim. “Existem negócios em que o investimento inicial é mínimo. A maioria das empresas registradas como MEI tiveram investimento inicial baixo e, aos poucos, foram incrementando a produção e começaram a se desenvolver”, observa.

Mesmo para negócios que trabalham com venda sob pedidos, é necessário ter um capital mínimo para os custos iniciais, seja do próprio empreendedor ou de terceiros, como um sócio ou algum financiador. O volume do recurso vai depender do tipo de empresa que se deseja abrir e o mercado que se pretende alcançar.

“Geralmente as indústrias demandam um investimento maior em função da necessidade de aquisição de máquina e de equipamentos. Já para as empresas prestadoras de serviço, o investimento inicial tende a ser menor”, compara Alice Mesquita.

alice mesquita
Legenda: Alice Mesquita: fazer um planejamento prévio é essencial, pois isso vai apresentar o volume de recursos necessário para iniciar o empreendimento e o prazo de retorno do investimento.
Foto: Reinaldo Jorge/Divulgação

Dependendo do tipo de negócio, algumas escolhas podem poupar recursos e ainda viabilizar a empresa. “Reforma e adaptações do prédio geralmente consomem um considerável montante de recursos. O empreendedor deve dar preferência a locais que exijam menos intervenção. Outro item que deve ser visto com atenção é a compra de estoque. Este é um aspecto que merece atenção, pois, muitas vezes, o empresário aplica todo o recurso, que deveria ser de capital de giro, em estoque e acaba comprometendo o desempenho do negócio”, avalia a executiva.

Palavra de ordem: planejamento

Se tendo capital suficiente é preciso planejar bem os recursos, com pouco dinheiro a necessidade de planejar é maior ainda. Todos os riscos devem ser pensados para que haja a correta aplicação do aporte.

“Ter cautela e não gastar além do necessário pode contribuir para que a empresa possa oferecer um produto ou serviço com preço competitivo”, ensina Alice Mesquita.

Duas dicas que podem ajudar o empreendedor na fase do planejamento: participar de eventos (cursos, seminários, feiras etc.) ligados à atividade que deseja empreender e visitar outras empresas que ofereçam produtos ou serviços similares para ir se habituando à dinâmica do negócio.

“Fazer um planejamento prévio é essencial, pois isso vai apresentar com clareza o volume de recursos necessário para iniciar o empreendimento e também o prazo de retorno do investimento. A ansiedade e às vezes a necessidade pelo retorno imediato podem ser cruciais para o negócio”, avalia a assessora.

Idealizando o negócio

Submeter a ideia de negócio a um crowdfunding ou financiamento coletivo acaba sendo a alternativa que alguns empreendedores apostam para angariar o capital inicial do negócio. No entanto, requer investir muita energia para ampliar a rede de divulgação, engajar os interessados e oferecer uma recompensa atraente para quem apoiar o projeto.

O crowdfunding também é conhecido por financiamento coletivo e consiste na obtenção de capital para iniciativas de interesse coletivo por meio da união de múltiplas fontes de financiamento – geralmente pessoas físicas interessadas na ação. É usual que seja estipulada uma meta de arrecadação a ser atingida para que o projeto seja viabilizado.

“Alguns cuidados devem ser observados: é preciso entender a dinâmica do site do crowfunding escolhido, a possibilidade de não arrecadar o valor mínimo estipulado no tempo definido e o dinheiro ter que retornar para as pessoas que contribuíram", explica Alice Mesquita.

Além disso, alguns sites de corwdfunding cobram comissão, por isso é importante saber o valor para não ter surpresas. "É ainda importante que o empreendedor tenha segurança se a empresa conseguirá entregar todas as recompensas e como lidar com o grupo de pessoas que acreditou no projeto”, ensina a Assessora Executiva do Sebrae-CE.

Dicas importantes

No planejamento do negócio, vale a pena se fazer algumas perguntas antes:

  • Quem é o meu cliente?
  • Qual a necessidade dele e como posso atendê-la?
  • De que forma o meu produto chegará a esse cliente? E como fidelizá-lo?

“Com a resposta dessas perguntas, passa-se para o passo seguinte, que é estruturar a empresa, prepará-la para atender e manter os clientes satisfeitos. E, com isso, tem-se o tipo de produto, a forma de gestão, o investimento e a mão de obra necessários para tocar a empresa”, ensina Alice Mesquita.

Você tem interesse em receber mais conteúdo do Vem Empreender?