Empreendedorismo: quais as melhores ideias de negócios para 2020? Veja algumas dicas

Especialistas apontam que, negócios voltados para um estilo de vida saudável e produtos mais afetivos ganharam mais espaços no desejo dos consumidores em 2020. Estar no ambiente digital também é um fator de grande relevância.

Foto: shutterstock

Na hora de empreender, nem sempre a ideia do empreendedor deve ser a chave final para criar um novo negócio. Com a pandemia do novo coronavírus, muitos modelos de negócios fracassaram, porque a forma de consumir também sofreu alterações. Diante disso, olhar para o cliente, entender suas dores e necessidades é uma das peças chaves para se ter ideias de qual segmento apostar na criação de novos negócios, segundo avaliam especialistas.

Para Rogério Nicolau, professor de empreendedorismo da Universidade de Fortaleza (Unifor), todos os tipos de segmento podem dar certo, mas para saber no que apostar,o empreendedor deve primeiro focar naquilo que gosta e tem experiência e estar sempre atento ao perfil do consumidor, analisando suas dores e necessidades.

"Antes de tudo, você deve se perguntar o porquê de estar escolhendo aquele tipo de negócio. Você  tem algum conhecimento mínimo sobre a operação desse negócio? Tem alguns empreendedores que querem entrar em um segmento sem experiência e, às vezes, isso é um problema. Neste momento que estamos vivendo, é preciso olhar para o cliente, o isolamento social mudou o comportamento de consumo da população, é preciso estar atento a essas mudanças", pontua.

Assim como Nicolau, a assessora digital, Elis Brindeiro comenta que, independente do ramo a ser escolhido pelo empreendedor é preciso focar em um negócio em que se tenha conhecimento e prazer em executar.

"Um dos primeiros passos é descobrir qual área que você consegue se desenvolver melhor. É preciso gostar daquilo que fazemos, para fazer com excelência, isso independe do período, na pandemia e, até no pós -pandemia. O diferencial é buscar estudar esse segmento para executar isso da melhor forma. O empreendedor também deve agir dentro de sua própria essência, criar algo e agir de forma como ele realmente é", avalia.

Adaptação

Devido a pandemia, muitos negócios tiveram que se reinventar para conseguir sobreviver ao período de isolamento social. De acordo com o professor da Unifor, as ferramentas virtuais foram grandes aliadas neste período, para garantir o bom funcionamento dos negócios, independente do segmento. 

"Tudo acontece a partir da necessidade do cliente. Esse período tem nos ensinado que os modelos de negócios, que não orbitavam ainda pelo mundo virtual, se mostraram altamente desatualizados. E, a crise evidencia esses modelos de negócios que vão ser obsoletos em um futuro próximo. Então, migrar para a virtualização, ter estratégias dentro das plataformas, é algo essencial", comenta.

Nicolau exemplifica que, com as mudanças de comportamento do consumidor, serviços como os de restaurantes, deverão estar aptos a operar em sistema de entregas, cardápios digitais, bom uso das redes, para que o cliente esteja mais inteirado sobre o que está consumindo.

Ideias de negócios promissores para 2020  

O professor de empreendedorismo reforça que, independente do segmento escolhido, é possível ter bons resultado. No entanto, ele pontua alguns segmentos que estão tendo destaque, neste ano. Veja:

  • Serviços de streaming
  • Ferramentas online (como plataformas de reuniões)
  • Cursos online
  • Serviços de entrega 
  • Assinatura de livros e vinhos
  • Segmentos de vida saudável

Ele pontua que, após a pandemia, as pessoas irão dar "mais atenção" aos assuntos relacionados à saúde. Logo, os negócios que orbitam em torno da esfera de "vida saudável", poderão ser mais promissores.

Já a assessora digital, Elis Brindeiro, analisa que os produtos e serviços voltados para a personalização e afetividade ganharam mais espaço no consumo das pessoas, neste ano. Como, presentes personalizados, trabalhos de gráfica que giram em torno da confecção deste itens e serviços de alimentos, como bolos e doces personalizados.

Dicas para empreender

De acordo com os especialistas, antes de começar, o empreendedor deve realizar uma auto análise e entender suas motivações por trás daquele negócio. Algumas perguntas que podem ser feitas, são:

  • O que está me levando a fazer isso? 
  • Faz parte do meu estilo de vida?
  • Estou visando um negócio de rápido crescimento? 
  • Isso se relaciona como com os meus objetivos pessoais  e profissionais? 

Após estes questionamentos, o futuro empreendedor deve estudar sobre seu mercado, público-alvo e definir soluções em torno de seu produto para oferecer aos clientes. 

Confira mais algumas dicas:

  • Como faço para que meu produto tenha um diferencial dentro do nicho em que atuo?

Nicolau aponta que, é preciso estar de olho no cliente, pois todo negócio deve ser a "resposta" de um problema que ainda não foi resolvido pelo mercado, até mesmo para se diferenciar. 

"O diferencial não sou eu como empreendedor que estabeleço, eu estabeleço a partir do entendimento da necessidade dos meus clientes e das demandas não atendidas do mercado. Quais soluções eu consigo perceber para solucionar a dor deste cliente? A minha solução se diferencia em quê das que já existem no mercado? É preciso saber, pelo menos minimamente, em que mercado está operando, quais os seus clientes, quais os critérios levam o cliente do ponto de vista pessoal, funcional e emocional escolher os seus produtos", comenta.

  • Como empreender com pouco dinheiro?

O professor de empreendedorismo, comenta que antes de tudo, é preciso atuar dentro de um segmento que faça sentido para o empreendedor, não tendo foco só nos resultados, mas nas crenças e valores creditadas dentro daquele serviço ou produto.

"O aconselhável, é pôr a mão na massa e tentar, mesmo que se tenha poucos recursos. Teste. Faça protótipos do seu produto, escute o desejo dos clientes, adapte e depois faça um produto para lançar, deixe que ele ganhe o seu mercado. É uma lógica de escalabilidade, como você pode ir crescendo aos poucos, isso é aplicável a qualquer segmento".

  • É obrigatório estar nas redes sociais?

Sim. Para a assessora digital, o empreendedor deve ter em mente que é preciso estabelecer um ambiente de relacionamento, entre a marca (produto) e os clientes. E, as redes sociais são canais que mais facilitam esse diálogo.

"Cada vez mais as pequenas empresas tem visto a importância que é adentrar nas redes sociais,por permitir uma maior proximidade, relacionamento com as pessoas", avalia.

  • Como montar meu perfil nas redes?  

De acordo com Brindeiro, os primeiros passos são compreender a si e ao seu produto, estudar sobre e depois mostrá-lo.Veja o passo a passo:

  • Criar a rede (caso não se tenha) 
  • Dê preferência a contas comerciais (fornecem mais informações para o empreendedor)
  • Montar uma estratégia, analisando seu produto e aquilo que você deseja comunicar.
  • A primeira publicação deve ser uma apresentação sobre "quem você é"

Ela aconselha que nesta publicação, se for pessoa física, o conteúdo deve ser feito em forma de vídeo, já para as empresas, o mais  recomendado é que seja por meio de imagens.

  • Como eu posso melhorar minhas redes sociais para atrair clientes?

Brindeiros comenta que é preciso ter um foco no conteúdo. " A primeira coisa a se entender, é que o seu post é importante, porque as pessoas irão visualizar aquilo. Comunique sempre com uma linguagem solucionadora, as pessoas vão até as redes para procurar soluções, e essas soluções precisam chegar de forma clara e sucinta. A postagem precisa ter clareza e mostrar para as pessoas que te seguem um conteúdo real, útil", comenta.

Veja alguma dicas:

  • Não usar textos grandes nas legendas
  • Mostrar um conteúdo real
  • Ter persistência
  • De acordo com o seu produto, mostrar ele na sua rotina
  • Mostrar um pouco do seu dia-a-dia
Você tem interesse em receber mais conteúdo do Vem Empreender?