O que é empreendedorismo? Existe momento certo para empreender?

Persistência, criatividade e outras qualidades fazem parte de características que um empreendedor deve ter

Quando se fala em empreendedorismo é comum pensar inicialmente na criação de uma empresa a partir de uma ideia voltada para atender uma determinada demanda. Se, para muitas pessoas, empreender é visto como um sonho, com a possibilidade de ter o próprio negócio, para outras, empreender é uma necessidade, seja por falta de oportunidade no mercado de trabalho ou para complementar a renda doméstica.

"Empreender está ligado à ação de você desenvolver uma série de ações para levar ao mercado um produto ou serviço a partir da observação que você tenha da necessidade de um grupo de cliente", resume o professor Rogério Nicolau, coordenador do Escritório de Gestão Empreendedorismo e Sustentabilidade (EGES) da Unifor.

Rogério destaca que essas necessidades podem aparecer de diversas formas, como uma demanda reprimida de determinado público.

"Empreender é  a capacidade de enxergar o problema como uma oportunidade e colocar a mão na massa para que uma ideia se materialize e atenda um grupo de clientes", diz. “Mas é preciso conhecer profundamente o setor em que está atuando e quem irá comprar essa solução”.

Na definição acadêmica, o empreendedorismo está diretamente relacionado à inovação. E o termo não se resume à criação de uma empresa ou negócio próprio. Dentro das empresas, por exemplo, é comum encontrar empreendedores que acabam criando novas soluções.

“O fato de abrir um negócio não quer dizer que você está empreendendo. Muitas vezes você tem empreendedores que estão dentro de uma empresa, que são os empreendedores corporativos. Então, o empreendedorismo está mais ligado ao comportamento do indivíduo do que em abrir um negócio em uma atividade específica”, diz Milton Sousa, professor da Unifor.

O empreendedor, portanto, não é necessariamente um empresário e um empresário não é necessariamente um empreendedor.

Quais os tipos de empreendedorismo?

Entre as diferentes modalidades de empreendedorismo se destacam além do empreendedorismo tradicional, que é a abertura de um negócio, o empreendedorismo tecnológico, digital, social, ambiental, cultural, de negócios de impacto, dentre outros. 

"Há uma diversidade muito grande de tipos de empreendedorismo, mas todos têm um aspecto em comum que é o comportamento do empreendedor, no qual o indivíduo busca resolver um problema, tendo lucro ou não com isso", diz Milton Sousa.

Quais as características de um empreendedor?

"Além da criatividade, eu apontaria a persistência e o trabalho. Muitas pessoas têm a ideia de que a pessoa que vai empreender vai ter um trabalho mais leve. Mas é o contrário. É um trabalho que tem hora para começar mas não tem hora para acabar. Quando você é dono do seu próprio negócio você tem que ter a certeza e o foco que vai trabalhar mais", diz Iara Andrade, diretora do Grupo MRH.

De modo geral, o empreendedor é uma pessoa que reconhece oportunidades de negócios, nos mais variados cenários, que sente uma necessidade muito grande de criar, e que assume o risco de o negócio dar errado. "Dificilmente você verá um empreendedor que não tenha essas características", diz Milton Sousa. 

"Diversos estudos têm identificado que o empreendedor precisa ter paixão por criar. Essa é outra característica forte dessas pessoas". No entanto, Milton Sousa diz que nem sempre o empreendedor é a pessoa que vai fazer a empresa crescer. "Ele cria, mas depois poderá precisar de outras pessoas para fazer a empresa prosperar", diz.

Existe momento certo para empreender?

Em momentos como o atual, com incertezas sobre o futuro e com profundas mudanças tanto no comportamento do consumidor como na demanda, há quem prefira esperar uma melhor definição do ambiente de negócios. No entanto, o aumento do desemprego levou muitas pessoas ao chamado empreendedorismo por necessidade.

O professor Milton Sousa avalia que não há um momento para iniciar uma atividade e que o ato de empreender depende muito mais do perfil do indivíduo do que de condições de mercado ou da idade da pessoa. “Isso pode ser desenvolvido ao longo de toda a vida da pessoa. Até em idade avançada é possível empreender”.

Milton entende que é nos momentos de crise que surgem as maiores oportunidades. No entanto, esses momentos exigem uma maior preparação e conhecimento sobre o setor que pretende atuar. "Tenho visto as pessoas dizendo que esse é o pior momento para empreender, mas na minha opinião é um bom momento porque há oportunidades”.

“Nos momentos em que há mudança de comportamento das pessoas o empreendedor que buscar atender essas novas demandas sairá na frente. O mais importante é reconhecer as oportunidades, mas a falta de entendimento do setor pode gerar um fracasso", diz Milton Sousa.

Para Iara Andrade, no momento atual, o empreendedor precisa de criatividade para se reinventar. "Quem já está empreendendo tem que se reinventar e as pessoas que perderam seus empregos e decidiram empreender terão de ter criatividade para oferecer algo diferenciado, porque nós estamos com um novo sistema de consumo. Estamos com as pessoas mais em casa", ela diz.

Iara cita o exemplo de uma cliente sua que trabalha no setor de decoração de festas e, durante a quarentena, após negociação com seus fornecedores, se especializou na entrega de presentes e mimos, como arranjos de flores. "Com as lojas fechadas, ela vendeu muito nessa pandemia", diz Iara.

Independentemente do momento, Iara destaca que antes de qualquer coisa o empreendedor precisa ter "muito bem definido" seu plano de negócio, em relação ao produto e serviço que irá oferecer e ter um plano de vendas. 

"Os canais de venda mudaram muito nessa pandemia. A entrega passou a ser muito importante, assim como o marketing para fazer seu produto se tornar conhecido", ela diz. "Mas hoje empreender é uma necessidade para muitas pessoas, então é importante ter conhecimento, aptidão e gostar da atividade".

Mesmo diante das novas oportunidades que se abriram durante a crise, Milton Sousa ressalta que um negócio que é bom em um ambiente físico pode não ir tão bem no ambiente digital. “Às vezes o empreendedor conhece muito daquele mercado mas pode partir para a abertura do negócio com premissas erradas”, diz. “Então é muito importante testar o mercado em pequena escala para só então investir mais tempo e dinheiro”.

Você tem interesse em receber mais conteúdo do Vem Empreender?

Assuntos Relacionados