PM que matou irmã no RJ já havia agredido outra irmã, grávida, antes de ser barrada em bar

Rhaillayne Oliveira de Mello já teve prisão preventiva decretada na manhã de domingo (3)

PM mata irmã
Legenda: Irmã da PM foi morta na madrugada de sábado (2)
Foto: reprodução/TV Globo

A Policial Militar Rhaillayne Oliveira de Mello, presa após matar a própria irmã a tiros no último sábado (2), já havia agredido outra irmã, grávida, horas antes de cometer o crime. Além disso, ela atirou para o alto em um bar após ser barrada no estabelecimento.

A prisão em flagrante de Rhaillayne foi convertida em preventiva ainda no domingo (3) e a TV Globo conseguiu acesso aos depoimentos prestados sobre o caso na 73ª DP no Rio de Janeiro, em São Gonçalo.

Em depoimento, o também  policial militar Leonardo de Paiva Barbosa contou que a mulher saiu de casa por volta das 20h30, com destino a uma festa familiar. Em um carro de aplicativo, foram ela, Rhaillayne, a irmã Thaillayne e a mãe, Patrícia.

Já na corrida, Rhaillayne suspeitou do motorista e começou a tratá-lo mal. Assim, a irmã, Thaillayne e a mãe, Patrícia, teriam repreendido o comportamento da policial.

Enquanto isso, Gabriel de Souza Motta, pai do filho de Thaillayne, estava com Rhãyna, outra das irmãs. Também em depoimento, ele revelou que Rhãyna foi avisada da briga e ainda recebeu imagens de Thaillayne com diversos arranhões.

Bebida

Na madrugada do crime, Rhãyna e os demais receberam convite feito por Rhaillayne para beber. Em um bar, ela foi vista pelos familiares "bebendo sozinha e mostrando sinais de que sob do álcool".

Bêbada e de saída do bar, ela ainda tentou retornar, mas foi barrada e reagiu com tiros para o alto. Em seguida, todos se dirigiram a um posto de gasolina, quando Rhãyna resolveu chamar o marido da irmã para levá-la para casa.

"Rhaillayne agrediu Rhãyna primeiro, desferindo-lhe um soco no cabeça; Rhãyna revidou, agredindo Rhaillayne ao ponto dela se desequilibrar e cair no chão. No momento em que Rhaillayne começou a levantar, ela sacou a sua pistola da cintura e começou a disparar na direção de Rhãyna", diz o Boletim de Ocorrência.

Rhaillayne acertou Rhãyna após alguns disparos e a moça caiu chão, ferida e sangrando, morrendo instantes depois. Após o crime, Rhaillayne foi encaminhada para a Delegacia de Homicídios de Niterói.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil

Assuntos Relacionados