Grupo de oposição adverte que talibãs irão "comer poeira"

Combatentes da FNR treinam com armas para evitar que grupo extremista tome poder do Vale do Panshir

Membro do Talibã empunhando arma pesada sobre jipe
Legenda: Repressão aos protestos levanta dúvidas sobre as garantias de mudanças do grupo extremista
Foto: Aref Karimi/AFP

A Frente de Resistência Nacional (FNR), principal oposição ao Talibã, advertiu que o grupo extremista irá "comer poeira". A declaração foi dada por um combatente de guerra, que junto aos aliados treina com metralhadoras para uma possível batalha contra o movimento fundamentalista islâmico.

O contingente da FNR é formado por milicianos e ex-membros das forças de segurança do Afeganistão. Eles instalaram postos de vigilância por todo o Vale do Panshir, uma província ao nordeste de Cabu, onde patrulham com veículos militares americanos e são equipados com metralhadoras e morteiros. 

"Eles vão comer poeira", ameaçou um dos combatentes, citando as vitórias passadas contra o Talibã. Seus camaradas erguem os punhos no ar, gritando "Allah Akbar" ("Deus é maior", em português). 

Resistência armada

Um dos líderes da FNR, Ahmad Massoud, afirmou a uma coluna do jornal americano Washington Post que fará resistência ao Talibã. "Se os senhores de guerra do Talibã lançarem um ataque, é claro que eles encontrarão resistência feroz de nossa parte", disse. 

Massoud é filho do comandante Ahmed Shan Massoud, assassinado em 2001 pela Al-Qaeda e que nunca se ajoelhou diante dos soviéticos e depois dos talibãs. Na prática, o Vale do Panshir foi um dos poucos territórios que os extremistas não conseguiram controlar, entre 1996 e 2001.

A resistência armada da FNR já armazenou armas e munições, mas Ahmad Massoud admitiu que "nossas forças militares e logísticas não serão suficientes" caso o vale fique sitiado por muito meses pelo Talibã. 

"Elas ficarão exaustas rapidamente, a menos que nossos amigos ocidentais encontrem uma maneira de nos abastecer sem demora", complementou.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo