Polícia prende 4 pessoas e faz busca em supermercado após morte de tio e sobrinho por furto de carne

Os dois foram entregues a traficantes pelos seguranças do estabelecimento comercial

Bruno Barros e Yan Barros
Legenda: Bruno Barros e Yan Barros foram encontrados mortos, com sinais de tortura, no interior do porta-mala de uma veículo em 26 de abril
Foto: reprodução/TV Globo

Quatro pessoas, entre elas um segurança, foram presas, nesta segunda-feira (10), pela Polícia Civil suspeitas de envolvimento na morte de Bruno Barros e Yan Barros, tio e sobrinho, assassinados após furtarem carne de um supermercado em Salvador. As informações são do G1

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), além das ordens de prisão, a Operação Retomada cumpre mandados de busca e apreensão em residências e também no supermercado Atakarejo, localizado no bairro do Nordeste de Amaralina. 

"No supermercado, estamos colhendo provas através de computadores, documentos, entre outros eletrônicos", explicou a delegada responsável pela investigação, Zaira Pimentel.

Agente da Polícia Civil durante Operação Retomada em Salvados, maio de 2021
Legenda: Participam da operação cerca de 50 equipes com 200 policiais civis
Foto: divulgação

Segundo a família, o tio e o sobrinho foram entregues a integrantes de uma organização criminosa pelos seguranças do estabelecimento comercial, após serem flagrados furtando quatro pacotes de carne no estabelecimento. 

Os corpos das vítimas foram encontrados no dia 26 de abril com sinais de tortura no interior do porta-malas de um carro na comunidade de Polêmica, na capital baiana. 

"Não dava nem para reconhecer a cara do meu filho. Eu reconheci meu filho pela mão e pelo pé, porque a cara estava transformada", relatou Elaine, mãe de Yan, ao G1.

A Polícia Civil atua simultaneamente nos bairros Nordeste de Amaralina, Mata Escura, Fazenda Coutos e no município de Conceição de Jacuípe, a cerca de 100 quilômetros de Salvador.

Participam da operação, cerca de 50 equipes com 200 policiais civis, Polícia Militar, Superintendência de Inteligência da SSP e do Departamento de Polícia Técnica (DPT).

'Estão me entregando aos traficantes', disse tio antes morrer 

Bruno Barros, 29 anos, e Yan Barros, 19, foram encontrados mortos no porta-mala de uma veículo em 26 de abril. Segundo as investigações, tio e sobrinho foram torturados e mortos por disparo de arma de fogo. 

Os seguranças do estabelecimento Atakarejo detiveram os dois após eles furtarem quatro pacotes de carne no supermercado. Bruno conseguiu pedir ajuda a uma amiga através de áudios e ligações. Na conversa ele dizia que precisava de cerca de R$ 700 para pagar o alimento.

"Eles estão me entregando agora pelo estacionamento aos traficantes aqui do Nordeste. Eu vou morrer. Não me deixa morrer não. Vem para cá! Chame a polícia para me prender", disse Bruno na última ligação com a amiga. 

Segundo o G1, a mulher tentou conseguir o valor, mas não conseguiu.

Em nota ao portal, a Polícia Militar disse que tomou conhecimento de que teria ocorrido um possível furto no supermercado. No local, funcionários teriam negado o fato. A rede varejista não anunciou quem são esses funcionários que negaram o que aconteceu e o motivo. 

Um cliente do estabelecimento disse que ouviu gritos vindos de uma sala reservada para funcionários e viu quando tio e sobrinho deixaram o supermercado. 

"Ouvi muitos gritos, como se estivessem agredindo os dois rapazes. Muito, muito, muito mesmo. [...] Quando estava saindo, eu vi muitas pessoas armadas, umas 10 a 20 pessoas armadas e vi o portão abrindo, e os dois rapazes pedindo por favor para não deixar levarem eles", contou.

O grupo Atacadão Atakarejo informou, em nota ao G1, que colaboram com a investigação policial e que já entregaram todos os documentos e imagens do sistema de segurança aos órgãos competentes para o esclarecimento do caso.

Em outro comunicado, eles disseram que foi aberta sindicância interna que decidiu pelo afastamento dos seguranças até que os fatos sejam devidamente esclarecidos pelas autoridades competentes.