Preso por tráfico de drogas toma arma de escrivão e atira na nuca de agente em Delegacia de Tauá

Suspeito estava algemado e prestava depoimento quando matou o policial civil

escrivão morto em Tauá
Legenda: O agente era lotado no município de Tauá, no Sertão dos Inhamuns
Foto: Arquivo pessoal

Um escrivão da Polícia Civil do Ceará morreu, na madrugada desta sexta-feira (30), ao ser baleado na nuca por um homem que prestava depoimento na Delegacia Regional de Tauá, no Sertão dos Inhamuns. 

Aloísio Alves Lima Amorim, de 60 anos, teve a própria arma tomada por Antônio Josivan Lopes Silva, 30, preso por tráfico de drogas. Mesmo algemado, o suspeito disparou contra a vítima por volta das 2h e fugiu na sequência.

O delegado Danilo Távora informou que Josivan e um comparsa foram levados à Delegacia de Tauá após envolvimento em uma ocorrência de venda de entorpecentes no município de Pedra Branca, distante 89 km. Enquanto a dupla estava detida, o suspeito pegou a arma do policial civil e atirou. 

Foram realizados os primeiros socorros na vítima ainda na delegacia, porém o agente não resistiu aos ferimentos e morreu.

"Não temos como precisar em que momento ele teve acesso à arma, pois os suspeitos estavam sozinhos com o escrivão dentro da sala", pondera o delegado.

Os dois homens trocaram tiros com outros policiais na delegacia. O comparsa foi recapturado, mas Josivan ainda está foragido, algemado e em posse da arma do escrivão. Ele usa calça jeans e camisa escura, e tem estatura alta. 

Antônio Josivan preso em Tauá
Legenda: Antônio Josivan disparou contra o policial civil e fugiu ainda algemado
Foto: Divulgação

Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a prestar os primeiros socorros ao escrivão, que não resistiu aos ferimentos.

Buscas

Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o titular da pasta, Sandro Caron, determinou o enviou de reforços policiais para a região e disponibilizou todo aparato necessário para que o homem responsável pelo homicídio seja capturado. 

Várias equipes de policiais civis de delegacias de todo o Estado foram enviadas para a área, além de composições da Polícia Militar. Conforme a nota, eles realizam buscas ininterruptas para capturar o suspeito. Uma aeronave da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) foi enviada para auxiliar.

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) disse, em nota, lamentar profundamente a morte do escrivão. 

Em nota de pesar, o Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Estado do Ceará (Sinpol/CE) também lamentou a morte do escrivão, conhecido pela "simpatia e gentileza com todos".

"Nossos sinceros sentimentos à família enlutada e a todos os irmãos Policiais Civis, que Deus conforte a todos", diz o comunicado.

Carreira 

Conforme informação da SSPDS, Aloizio Alves de Lima Amorim trabalhou na Polícia Civil durante dez anos, três meses e 20 dias. O escrivão prestou serviços no Grupo Provisório de Investigação e Homicídios, na Delegacia Municipal de Parambu, além das Delegacias Regional de Juazeiro do Norte e Regional de Tauá, onde estava lotado desde 2014.

A Polícia Civil afirmou que "reconhece os relevantes serviços prestados à sociedade cearense pelo policial civil, lamenta a partida precoce do policial que tanto contribuiu no combate à criminalidade no Ceará e coloca o aparato da Instituição à disposição da família dele".

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança