Homem suspeito de estrangular estudante em motel de Fortaleza diz que já respondia por estupro

O suspeito nega autoria do feminicídio, mas confessa que já foi preso por roubo e estupro. Na versão dele, o casal usava drogas e a mulher começou a passar mal

Escrito por Redação,

Segurança
Mulher é morta em Motel no Ceará
Legenda: Policiais militares foram acionados para atender a ocorrência após o achado de cadáver

O homem preso sob suspeita de estrangular e matar uma mulher, dentro de um quarto de um motel no bairro Henrique Jorge, em Fortaleza, já respondia pelos crimes de roubo e estupro. Conforme o próprio suspeito, identificado como João Victor Barbosa Pereira, ele tem antecedentes criminais no Estado de Sergipe.

João Victor foi autuado em flagrante por um crime de feminicídio. A morte aconteceu no dia 1º de julho, por volta das 5h e vitimou a estudante Ingridh Nohana Carvalho.

A investigação aponta que o suspeito tentou sair do motel desacompanhado, mas foi impedido pela administração do estabelecimento. De acordo com a Perícia, a jovem morreu em decorrência de insuficiência respiratória decorrente de estrangulamento.

Já na Delegacia, João Victor teria negado a autoria do feminicídio, mas confessou que ele e a parceira foram até o motel para usar drogas. 

A defesa do suspeito pediu conversão da prisão em medidas cautelares diversas. O pedido foi negado pela Justiça, que falou sobre a prisão preventiva ser necessária e indispensável "para a garantia da ordem pública e a aplicação da lei penal".

A OCORRÊNCIA

O suspeito disse ter conhecido Ingridh dois meses antes, em uma praça. Passaram a se encontrar com frequência para usar maconha e beber cachaça. Ele disse estar em casa, quando recebeu mensagem da vítima o chamando para curtir e usar drogas: "aceitou e disse que tinha duas trouxinhas de cocaína e uma de maconha".

Policiais militares foram acionados para atender a ocorrência após o achado de cadáver. Na versão do suspeito, ele e Ingridh usavam drogas, quando ela começou a passar mal, se debater e espumar pela boca.

João Victor disse ter saído do quarto para pagar a conta e quando retornou já encontrou a vítima nesta situação. Desde o primeiro momento, a versão dele foi contestada por profissionais do Samu, que notaram a possibilidade do estrangulamento.

Os policiais militares foram informados sobre a possibilidade de a vítima ter sido assassinada. A patrulha conduziu João Victor para a Delegacia, onde ele foi autuado em flagrante.