Em missa de 7º dia, familiares de mulher morta em curso chamam atenção para casos de violência

Emanuelly Vasconcelos Sampaio foi assassinada a tiros pelo ex-marido enquanto trabalhava no Henrique Jorge

Legenda: Emanuelly foi assassinada neste sábado, quando estava trabalhando
Foto: Foto: VC Repórter

A missa de sétimo dia da recepcionista Emanuelly Vasconcelos, morta a tiros pelo ex-marido enquanto trabalhava em um curso no bairro Henrique Jorge, foi celebrada nesta sexta-feira (5), na Igreja Nossa Senhora das Dores, em Maracanaú.  

Familiares se reuniram vestindo camisas com a foto de Emanuelly e segurando cartazes chamando atenção para casos de violência contra mulher.   

A mãe de Emanuelly, Ivonete Vasconcelos, pediu o fim da violência nos relacionamentos, enquanto o padre que celebrou a missa disse que casos de feminicídio têm preocupado toda a sociedade. Ao fim da celebração, todos se reuniram ao lado de fora da igreja com cartazes, balões brancos e velas acesas.

Colega de Emanuelly foi à polícia momentos antes do crime, mas PM não chegou a tempo

Ex-marido da vítima estava em liberdade provisória desde 2017

Emanuelly foi assassinada pelo mecânico Isac Ângelo dos Santos Filho, de 34 anos, dentro do prédio do curso onde trabalhava, no bairro Henrique Jorge, na manhã do último sábado (30). Os dois ficaram juntos por 17 anos e têm um filho de nove anos. 

Segundo a polícia, o homem não aceitava o fim do relacionamento e era violento com a vítima.


Assuntos Relacionados