Timbal se destaca entre pequenas

Legenda: A Timbal Modas é uma empresa familiar sobralense diversificada no ramo de confecções, calçados, artigos para viagem e roupas infantis

A Timbal Modas, empresa familiar sobralense diversificada no ramo de confecções, calçados, artigos para viagem e roupas infantis, tem 50 anos de história e acúmulo de prêmios, como o reconhecimento, por parte da Sefaz e do Sistema Verdes Mares, na arrecadação de impostos. O ICMS arrecadado pela empresa, no ano passado, a coloca na lista dos maiores contribuintes da região Norte, em 2015, no regime Simples Nacional.

Leia também:

>>Grendene aposta no capital humano para crescimento

>>Empresa é líder na exportação de calçados

>>Votorantim se destaca por projetos

>>Empresa de bebidas comemora conquistas

>>Empresas fortalecem a empregabilidade

>>Zenir segue em expansão no CE

>>Donizete investe em mão de obra

Em sua 8ª edição, o Contribuintes premia a Timbal Modas pela terceira vez, o que enche de orgulho o empresário Raimundo Afonso Ribeiro, tratado carinhosamente por Timbal, que segue à frente das lojas. Ele lembra que o mercado já esteve bem mais aquecido e que a cada ano sente o arrocho da crise, somado à inconstância da economia no País. Mesmo assim, nunca deixou de acreditar na necessidade que as pessoas têm de renovar as peças do guarda-roupas.

O segredo para estar há tanto tempo no mercado, segundo ele é ter o pé no chão, ter perseverança, acreditar no amanhã e trabalhar para que o próximo ano seja melhor. "Por isso, insisto em manter grande parte de meus vendedores, mas também aposto em pessoas jovens, que buscam sua primeira oportunidade de emprego", disse.

Entre as três lojas, o empresário mantém 15 vendedores dos mais antigos em seus quadros, assim conserva também a sua clientela. "Nós temos clientes cativos que procuram o mesmo vendedor para realizar suas compras, mês após mês. Isso se deve a uma boa relação construída entre os dois, o que representa boas vendas. Apesar das dificuldades que enfrentamos, estou reformando a loja para o Natal e já fiz novas contratações, sempre com a certeza de bons negócios", afirmou.

Quem confirma a queda no volume de vendas, ano após ano, é Ana Maria Sales Eugênio, vendedora há duas décadas, na empresa e que se mantém em atividade graças ao número de clientes fixos que conseguiu manter ao longo dos anos. Ela credita esse momento difícil à falta de emprego e à diversidade de mercadorias e produtos oferecidos no comércio.

"Observo que a pessoa não têm realmente dinheiro para aquela compra, ou encontram mercadorias em lojas mais populares e até mesmo no mercado informal, o que não representa garantia nenhuma daquele produto", adverte.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará