Tartaruga-cabeçuda de 150 quilos é resgatada na praia de Barra de Moitas, em Amontada

Animal aguarda veículo adequado para ser deslocada a um centro de reabilitação da espécie

Tartaruga-cabeçuda
Legenda: Tartaruga-cabeçuda é resgatada pelo Corpo de Bombeiros
Foto: Divulgação / Allana Loiola

Uma tartaruga-cabeçuda de cerca de 150 quilos foi encontrada encalhada na manhã deste domingo (5) na praia de Barra de Moitas, no município de Moitas em Amontada, no litoral oeste do Estado. O animal, que está bastante debilitado, aguarda para ser deslocado a um centro de reabilitação da espécie em Areia Branca, no Rio Grande do Norte.

No entanto, por falta de transporte adequado ao seu tamanho, a previsão é que esse deslocamento só aconteça na segunda-feira (6), segundo a bióloga e coordenadora do Projeto Eco Icaraí, Allana Loiola, que participou do resgate. 

"Ela tem mais de 1,40 metro e mais de 150 quilos e não coube na carroceria. O Instituto Verde Luz está acionando um resgate o quanto antes. A Secretaria de Meio Ambiente do Ceará foi acionada, mas a previsão de um carro é para amanhã de manhã", explica. 

Enquanto isso, a tartaruga foi levada para a praia de Icaraí de Amontada e aguarda em um espaço improvisado numa pousada local. A demora no atendimento, no entanto, pode agravar a saúde do bicho, já classificado em escala global como uma espécie vulnerável, segundo destaca a bióloga. 

"Conseguimos improvisar uma lona e estamos botando água. Ela é muito grande, então não coube na caixa d´água. Ela está num buraco, com uma lona e água, esperando esse resgate. Mas isso debilita mais o animal e diminui as taxas de sobrevivência dele", comenta. 

Tartaruga
Legenda: Tartaruga aguarda transporte em uma pousada em Icaraí de Amontada
Foto: Divulgação

Animal não conseguiu retornar ao mar

Segundo Allana, ao ler localizada, o grupo de resgate juntamente com o Corpo de Bombeiros tentou devolver a tartaruga ao mar, mas ela não conseguiu nadar. A hipótese é que o animal tenha se chocado com alguma embarcação. 

"Ela chegou a encalhar mais de uma vez, quando está assim já sabe que ela está debilitada. É uma fêmea, e essa espécie não tem área de desova no Ceará, então possivelmente ela estava vindo se alimentar. Ela não apresenta ferimentos, mas não consegue nadar", afirma a bióloga. 

Por nota, o Corpo de Bombeiros disse que guarnições da 5ª Companhia do 3º Batalhão, sediada em Itapipoca, foram acionadas para o resgate da tartaruga, por volta das 9h40 deste domingo (5), com o apoio da Polícia Militar. 

"Os Bombeiros Militares tentaram ainda devolvê-la ao mar, entretanto, o animal não conseguiu retornar ao seu habitat". 

O Diário do Nordeste entrou em contato com a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e aguarda posicionamento sobre o caso. 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará