Primeira etapa de vacinação contra febre aftosa começa no Ceará

A campanha prossegue até o dia 1º de junho próximo e inclui animais de todas as idades

Criação de gado
Legenda: Nesta fase, devem ser vacinados os animais de todas as idades
Foto: Honório Barbosa

A primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa em 2021 começou nesta segunda-feira (3) e vai até o dia 1º de junho no Ceará, com a meta de vacinar pelo menos 90% do rebanho bovino e bubalino do Estado, estimado em 2,7 milhões de animais.

Nesta fase, devem ser vacinados os animais de todas as idades. A campanha é coordenada pela Agência de Defesa Agropecuária (Adagri) em parceria com a Ematerce e secretarias municipais de Agricultura.

A presidente da Adagri, Vilma Freire, lembrou que o Ceará vive a expectativa de se tornar área livre de aftosa sem vacinação, mas que depende da adesão dos criadores à campanha. “Faço um apelo a todos os produtores rurais para que vacinem o seu rebanho contra a febre aftosa”, frisou.

Vilma Freire pontuou que o reconhecimento pelo Ministério da Agricultura, Abastecimento e Pecuária (Mapa) será um “importante ganho para os nossos produtores que vão poder comercializar (a carne e seus produtos derivados) em todo o território brasileiro aquecendo com isso a economia do nosso estado”.

Aplicação no prazo

Além de vacinar os animais, o criador terá de fazer a declaração que aplicou o imunizante dentro do prazo legal. A compra das doses pode ser feita até o próximo dia 1º de junho em uma revenda agropecuária, com obtenção do cupom fiscal.

Depois, o produtor terá um prazo de 15 dias para apresentar a declaração que vacinou o rebanho em um escritório da Adagri ou instituição parceira (Ematerce, secretaria de Agricultura ou Sindicato Rural).

Há também a possibilidade de encaminhar a declaração por meio do site da Adagri, no Portal do Produtor, “sem a necessidade de se deslocar até uma unidade”, conforme ressaltou o diretor de Inspeção e Fiscalização da Adagri, Amorim Sobreira. O prazo é até o dia 16 de junho.

O Ceará vive a expectativa de se tornar zona livre de aftosa em vacinação e, dentro do cronograma esperado, só devem ocorrer mais duas campanhas de imunização contra a doença: em maio e novembro deste ano e nos mesmos meses de 2022.

“A campanha de novembro de 2022 deverá ser a última”, espera o coordenador do Programa de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa da Adagri, Joaquim Barros Sampaio. “Até lá temos de fazer a nossa parte, ou seja, vacinar todos os animais”.

Em maio de 2020, o Mapa reconheceu Rio Grande do Sul, Paraná, Rondônia e Acre como zona livre de aftosa sem vacinação. Neste mês de maio, o status deve ser obtido na Organização Internacional de Saúde Animal (OIE).   

Criação de gado
Legenda: O Ceará vive a expectativa de se tornar zona livre de aftosa em vacinação
Foto: Honório Barbosa

Duas campanhas por ano

A cada ano são realizadas duas campanhas de vacinação contra aftosa. A primeira em maio é destinada a todos os animais, mas a segunda em novembro é limitada aos bichos com até 24 meses de idade.

Em novembro passado, o Ceará obteve um índice de vacinação de 88,35% do rebanho, ou seja, muito próximo da meta definida pelo Mapa. “Há outros critérios observados e o criador tem até o próximo dia 17 próximo para enviar dados referente ao cadastramento animal. O objetivo é atualizar o quantitativo de animais.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará

Assuntos Relacionados