Por falta de pagamento, servidores de Juazeiro do Norte paralisam atividades parcialmente

O movimento foi em razão do atraso salarial do último mês de dezembro. Gestão garante que até sexta-feira o problema será solucionado.

Legenda: Postos de saúde ficaram sem médicos e de portas fechadas
Foto: Valéria Alves

Quem procurou o serviço de alguns postos de saúde de Juazeiro do Norte, nesta segunda-feira (11), voltou para casa decepcionado, pois, os servidores públicos da saúde do Município paralisaram suas atividades pelo atraso no pagamento do mês de dezembro. A categoria se reuniu, ainda na manhã de hoje, com o prefeito Gledson Bezerra (Podemos), que prometeu solucionar o problema até a próxima sexta-feira (15).  

A dona de casa Geralda do Nascimento, visitou a unidade de saúde mais cedo por sentir dores de cabeça e no braço, mas não encontrou médico. "Hoje tirei um tempo de vir aqui e vou fazer o que? É esperar”, lamentou. O aposentado Paulo Pereira de Souza, apesar de encontrar a mesma dificuldade, acredita que a paralisação é válida.

“Eu vim buscar uma receita e terei que voltar sem ela, mas o problema do pagamento é serio. Eles precisam, assim como todos nós”, completou.  

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Juazeiro do Norte (Sisemjun), Marcelo Alves, a paralisação ocorre até hoje. “O movimento foi importante para colocar para o prefeito a importância da quitação de forma célere”, observou. 

A partir de amanhã, os serviços voltam a normalidade, segundo o Sisemjun. “O sindicato informará aos servidores para retorno aos seus locais de trabalho, em especial aos serviços essenciais, que estão funcionando de forma presencial. Nos próximos dias, quarta, quinta, esperamos o pagamento dos servidores”, reforça Marcelo.  

“Os servidores, principalmente os que tem menores salários, não estão conseguindo bancar despesas até para trabalhar e afeta também o comércio local, o supermercado, o proprietário do imóvel, que não recebe aluguel. Não conseguem pagar suas contas, cartão de crédito e estamos avançando para uma solução”, completou o sindicalista.  

Na reunião de hoje com o prefeito, segundo Marcelo, o gestor reforçou o pagamento de dezembro, que terá um impacto líquido de 13,7 milhões. “O governo colocou que deve se processar nos próximos dias, dependendo único e exclusivamente do acesso às contas do banco para movimentação. A solicitação já teria sido feita ao Banco do Brasil, informando os procedimentos da posse do novo prefeito e todo secretariado e só está nesta dependência para fazer o pagamento da folha”, detalhou o sindicalista.   

O secretário de Administração de Juazeiro do Norte, Tarso Magno, confirmou que há uma negociação em andamento com servidores e acredita que até sexta-feira tudo estará solucionado. “O que impede hoje são as senhas dos bancos”, reforçou. 

Sem adesão

Guardas civis metropolitanos e agentes de trânsito não aderiram à paralisação. O Sindicato dos Agentes Municipais de Segurança Pública do Estado do Ceará (Sindiguardas), ainda, declarou repúdio ao posicionamento do Sisemjun, a qual classificou como “precipitada”, diante da situação financeira do Município, pois, entende que os débitos são oriundos da gestão anterior.  

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará