Hora de Plantar é antecipado e vai distribuir mais sementes

A esperança dos agricultores de base familiar em um 'bom inverno' na próxima quadra chuvosa ampliou a demanda do programa, que chega à 34ª edição na safra de 2021 com meta de distribuir 3.410 toneladas de sementes

Foto: Foto: Honório Barbosa

Neste ano, as precipitações chegaram mais cedo, antecipando em um mês o período de pré-estação chuvosa no Ceará. No campo, os agricultores estão esperançosos em 'um bom inverno' para 2021. Luís Araújo, que mora em Alencar, zona rural de Iguatu, na região Centro-Sul, já começou o serviço de limpeza na roça. "Confio em Deus e acho que o inverno vai começar mais cedo", acredita. "Vou plantar milho, que tá com um preço bom".

Na Vila União, o agricultor José Custódio mantém o hábito do cultivo de grãos de sequeiro para sobrevivência. "Recebo as sementes do Governo e sempre faço uma pequena roça de feijão e milho para comer".

Na localidade de Córrego, o agricultor Francisco Souza é outro que mantém o otimismo. No começo de dezembro vai preparar 2 hectares para o plantio de grãos. "No ano passado já foi melhor, tirei dez sacos de milho e cinco de feijão", disse. "Neste ano, acho que vamos ter muita chuva e essa lagoa aqui vai esborrotar", prevê Francisco.

Sementes

De olho na possibilidade de uma quadra chuvosa favorável, a Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA) anunciou que vai distribuir mais sementes e maior quantidade de palma forrageira em relação à edição deste ano do programa Hora de Plantar.

Em 2020, foram entregues 3.140 toneladas de sementes. Para 2021 haverá aumento de 270 toneladas. Serão distribuídas 3.410, aumento de 8,5%. A quantidade de raquetes de palma forrageira vai passar de 4,5 milhões de unidades para 6,2 milhões, acréscimo de 1,7 milhão de raquetes (38%).

A distribuição de mudas frutíferas de caju anão-precoce e de essências florestais e nativas também será ampliada. Para a safra de 2021, serão 736 mil, ante 620 mil entregues aos agricultores familiares neste ano. Já a quantidade de maniva de mandioca permanece igual: 5 mil metros cúbicos.

Outra inovação foi destacada pelo secretário Francisco De Assis Diniz, da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA): a introdução de "sementes de milho da cultivar BR 4104, com maior capacidade de produção, que foram desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)".

Meta

A meta do programa é contemplar cerca de 155 mil agricultores familiares em 182 municípios atendidos pelo programa. Estão fora apenas Fortaleza e Eusébio. Esse número de beneficiados permanece o mesmo em relação às três últimas edições.

O secretário frisou que a distribuição "vai começar logo na primeira semana de dezembro, no Cariri" e observou que os armazéns já estão com os estoques para "atender 31 cidades da região".

O diretor do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Iguatu, Sebastião Alves, disse que a antecipação da entrega é uma reivindicação do movimento dos agricultores familiares e justifica: "o agricultor sabe o tempo certo de plantar, e estando com a semente em casa pode aproveitar as primeiras chuvas, não perder tempo".

Chuva

As chuvas verificadas desde o início deste mês, embora pontuais, já modificaram paisagens no Cariri cearense, que começa a ficar verdinho, em contraste com a mata seca dos últimos meses. "As chuvas vão começar fortes logo em dezembro, vamos ter um inverno mais cedo", disse o agricultor Luís Alencar, do município de Missão Velha. Em Lavras da Mangabeira e em Missão Velha, os agricultores já se movimentam para fazer o preparo mecanizado da terra. Eles apostam que as chuvas vão chegar mais cedo e serão bem mais intensas. "A área de plantio vai ser ampliada no próximo ano porque o medo de perder a safra por falta de chuva foi embora e o clima é de otimismo", observou o gerente local da Ematerce, em Lavras da Mangabeira, Cléber Correia.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará