Escola em Juazeiro do Norte faz rodízio de aulas

A E.E.F Dr Leão Sampaio, que funciona em tempo integral, iniciou obras de recuperação das salas de aula. Por isso, alunos vão ao colégio em dias alternados

Legenda: A escola passa por reforma para reestruturação desde o mês de novembro
Foto: Foto: Antonio Rodrigues

Os estudantes do 3º e 4º ano do Ensino Fundamental da Escola Dr. Leão Sampaio, em Juazeiro do Norte, no Sul do Ceará, estão passando por um ‘rodízio’ de aulas. As salas estavam passando por reformas, mas as obras foram paralisadas e, por falta de local adequado, as turmas se revezam com lição dia sim, dia não.  

A situação inusitada incomodou os pais, já que o colégio funciona em tempo integral. A vendedora Edvânia Lima, que tem um filho estudando no quarto ano, explica que matriculou a criança para estudar pela manhã e tarde, justamente para poder trabalhar. “Está prejudicando. A gente tem que se virar no dia seguinte para deixá-los em casa. Eles não podem ficar sozinhos”, enfatiza.

Ela conta que no sábado houve uma reunião com representantes da Secretaria de Educação de Juazeiro do Norte (Seduc), quando foi explicado que a paralisação da obra acontece por problema na licitação. “Infelizmente, fica difícil de confiar, porque o que mais se vê é obra inacabada. O que mais se vê é parar a educação, não só aqui, como em outros municípios”, lamenta.  

A escola passa por reforma para reestruturação desde o mês de novembro de 2019. A obra está orçada em R$ 359.750,41, com prazo para ser concluído em 120 dias.

Sem aula em pelo menos dois dias da semana, os professores passam atividades extraclasse. Porém, na reunião do último sábado foi discutido a possibilidade de remanejar os alunos para outro prédio. “A escola em tempo integral que temos é essa. Se eu tivesse emprego fixo, teria que abandoná-lo”, acredita Edvânia.  

A prefeitura de Juazeiro do Norte, por meio da Secretaria de Educação (Seduc), informou que as aulas em dias não sequenciais foi decidido após diálogo com os pais e que, nos dias em que elas não acontecem, os estudantes contam com atividades extraclasse. 

Em reunião realizada no sábado (1) com cerca de 300 pais, ainda segundo a prefeitura, foram discutidos assuntos relacionados a reforma da escola. A secretária municipal de educação, Maria Loureto de Lima, disse que os familiares optaram pela continuidade da reforma e que nenhum aluno ficará prejudicado pelo atendimento alternado. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará

Assuntos Relacionados