Associação Caatinga comemora 20 anos com legado marcante

Somente no Ceará, o trabalho social da entidade protege 15.837,81 hectares de Caatinga, o equivalente a aproximadamente 22.182 campos de futebol

Fundada em outubro de 1998, em Fortaleza, a Associação Caatinga (AC) trabalha pela defesa e proteção do bioma Caatinga, o único exclusivamente brasileiro. Nesses 20 anos de atuação, a entendidade construiu um expressivo legado no que tange a luta da educação ambiental e do desenvolvimento sustentável.

O apoio à criação de 24 Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) e à elaboração de 13 planos de manejo, gerou, apenas no Ceará, a proteção de 15.837,81 hectares de Caatinga. A área corresponde a aproximadamente 22.182 campos de futebol.

Operando nacionalmente, a entidade conta com cerca de 523 professores de educação ambiental espalhados em 53 escolas. As ações de sensibilização já alcançaram 19.833 estudantes.

Tecnologia sustentável também é uma área de atuação da AC. Na lista de distribuição de materiais estão 19 composteiras, 190 coletores de resíduos sólidos, 155 cisterna de placas, 9 sistemas de bioágua em 8 comunidades, 138 fornos solares em 17 comunidades, 83 fogões ecoeficientes em 18 comunidades e mais de 89 meliponicultores capacitados e 198 colônias de abelha Jandaíra distribuídas em 16 comunidades.
 

3.600 

famílias em 45 comunidades rurais já foram impactadas pelas ações promovidas pela AC.

70 

mil pessoas já visitaram a Exposição Caatinga um Novo Olhar. A mostra disponibiliza réplicas de animais da fauna Caatingueira.

Comemoração de aniversário

Para celebrar as duas décadas, a AC promove nesta terça-feira (30), a partir das 8h, a primeira edição do Torneio Tatu-Bola de Futebol. O evento acontece na comunidade Cana Brava, localizada na zona rural do município Buriti dos Montes, no Piauí.

Na ocasião, alunos de quatro escolas da região participam da competição futebolística. A programação também integra sessões de cinema, jogos interativos, apresentações de grupos artísticos locais e espaço de pintura. Fora a exposição de banners explicativos, réplicas de animais em tamanho real, a realização da campanha “Todos Contra a Caça” e um festival de comidas preparadas no forno solar, tecnologia sustentável disseminada pelo Projeto No Clima da Caatinga (NCC), responsável pelo evento.

O coordenador geral da AC, Daniel Fernandes, explica que “a iniciativa busca promover a conservação da Caatinga e do tatu-bola por meio de um evento esportivo e cultural, recheado de ações de educação ambiental e leva esse nome, pois o Tatu-bola é o nosso embaixador da conservação".

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará