Visita ao Ceará: Tianguá será primeira cidade a receber Bolsonaro

Ele deve participar da cerimônia de assinatura de três ordens de serviços para obras em rodovias federais no Estado. De lá, deve seguir para vistoria de obras da BR-222 em Caucaia

fotografia
Legenda: Após a cerimônia em Tianguá, a comitiva presidencial deve seguir para vistoriar as obras de duplicação da BR-222, no trecho que liga o município de Caucaia ao Porto do Pecém
Foto: Agência Brasil

A cidade de Tianguá, na região da Serra da Ibiapaba, será o primeiro destino do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), nesta sexta-feira (26), durante visita ao Ceará. Lá, ele deve participar da cerimônia de assinatura de três ordens de serviços para obras em rodovias federais no Estado, que ocorrerá no Polo de Lazer Regis Diniz.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), general Santos Filho, também estarão presentes.

Após a cerimônia em Tianguá, a comitiva presidencial deve seguir para vistoriar as obras de duplicação da BR-222, no trecho que liga o município de Caucaia ao Porto do Pecém. Deputados federais, prefeito e apoiadores do presidente devem participar dos eventos. Equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) estão sendo deslocados para reforçar a segurança. A Polícia Federal (PF) e o Exército também devem dar apoio.

Pandemia

O momento da visita, no entanto, é considerado inoportuno por alguns parlamentares aliados ao Governo Camilo (PT), já que o Estado está sob decreto com regras de distanciamento social, inclusive com toque de recolher até o fim do mês — e, desde o início da pandemia, as visitas do presidente têm gerado aglomerações pelo País. O governador petista ainda não se pronunciou sobre o assunto nem comentou se foi convidado.

A última vez que Bolsonaro esteve no Ceará foi em junho de 2020, para inauguração do trecho da transposição do Rio São Francisco no Estado. Uma comitiva de deputados cearenses o recepcionou na abertura das comportas de reservatórios em Penaforte e em Jati, na região do Cariri.

Obras paralisadas

fotografia
Legenda: Parte da obra de duplicação da BR-222 inacabada em Tianguá
Foto: Marcelino Júnio

As ordens de serviços que serão assinadas pelo presidente têm como foco a retomada das obras que estavam paralisadas no Estado. Dentre elas, a da Travessia Urbana de Tianguá, que engloba a duplicação de seis quilômetros da BR-222 na região da Serra da Ibiapaba, do Km 309,25 ao Km 315,8. O trecho é responsável por ligar Tianguá a Fortaleza, ao Piauí, ao Maranhão e a estados da região Norte do País.

10 anos: É o tempo que as obras da Travessia Urbana de Tianguá estão paralisadas

Por conta das obras paralisadas e de dois viadutos inacabados, o trecho que abrange a Travessia Urbana é considerado um dos mais perigosos da região. Ao todo, o investimento é de R$ 66,1 milhões.

Ainda na BR-222 será retomada a execução das obras remanescentes de restauração e melhoramentos do trecho compreendido entre o km 64,3 e o km 122,8 da rodovia, com a instalação de variantes na cidade de Umirim ao distrito de Frios. A medida busca redirecionar o tráfego de transporte de cargas, que encontra conflito com o transporte urbano do município, e eliminar trechos sinuosos, curvas acentuadas e passagens de nível perigosas.

5 anos: As obras de melhorias do Km 64 ao Km 122,8 da BR-222 no Ceará, responsável por ligar Fortaleza a Sobral, estão paralisadas desde 2016

As obras no trecho irão melhorar o tráfego de veículos e cargas entre Fortaleza e Sobral. Ao todo, está previsto investimento de R$ 16,7 milhões para a conclusão das obras, que tem prazo de 210 dias a partir da assinatura da ordem de serviço — que deve ocorrer na sexta-feira.

3 anos: As obras para a conclusão do viaduto que dá acesso ao município de Horizonte estão paradas desde 2018

O terceiro termo de serviço compreende obras remanescentes na BR-116 para a conclusão do viaduto que dá acesso ao município de Horizonte. Orçado em R$ 5,2 milhões, o trabalho deve eliminar um ponto crítico na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), permitindo o acesso à cidade e o retorno da rodovia federal aos motoristas que se locomovem pela rodovia.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política