Pressionado, Bolsonaro usa redes sociais para destacar ações em prol do meio ambiente

O setor empresarial começa a temer o impacto econômico negativo da imagem 'antiambientalista' do governo Bolsonaro

Pressionado por organizações e investidores sobre a preservação ambiental do País, o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) usou suas redes sociais neste domingo (12) para ressaltar ações do governo em prol do meio ambiente. O presidente citou em especial a atuação da Advocacia-Geral da União (AGU) no bloqueio de bens de pessoas ligadas a atividades de desmatamento.

Com ações de boicote a produtos brasileiros na Europa, o setor empresarial do País com a deterioração da imagem do Brasil no exterior em relação à questão ambiental. Não só as campanhas de boicote em outros países, mas relatos de queda nos investimentos recebidos neste ano e vários casos sobre questionamentos em relação à postura ambiental do país tem provocado receio de impacto econômico das ações do governo quanto ao Meio Ambiente.

"Força-tarefa da Advocacia-Geral da União bloqueou mais R$ 143 milhões em bens de desmatadores da Floresta Amazônica. Os valores já ultrapassam os R$ 570 milhões. Os recursos recuperarão os danos ambientais e pagamentos de indenização nas ações movidas pela AGU", contrapôs o presidente, por meio das redes sociais.

A publicação acompanhava vídeo com a mensagem que "muito tem sido feito para proteger e preservar a riqueza verde do Brasil". Números da Operação Verde Brasil 2 também são citados no vídeo, como a apreensão de 27,9 mil metros cúbicos de madeira ilegal confiscados ao longo de dois meses da iniciativa militar.

A operação, contudo, sofre com a falta de recursos do governo federal. As dificuldades de financiamento da força-tarefa militar foram inclusive confirmadas pelo vice-presidente Hamilton Mourão, que coordena a operação e preside o Conselho Nacional da Amazônia.

Nesta última semana, com Bolsonaro ainda isolado em função da covid-19, Mourão participou de reuniões com representantes do empresariado estrangeiro e brasileiro para dar respostas às cobranças relacionadas à preservação do meio ambiente. No fim de junho, investidores internacionais chegaram a enviar carta ao governo federal pedindo comprometimento no combate ao desmatamento.

Operações

Bolsonaro também citou em suas redes sociais ações da Polícia Federal em parceria com a Controladoria-Geral da União. O chefe do Executivo destacou a realização de operações em Sergipe, Bahia e Paraíba, que investigam, por exemplo, desvios de verbas públicas e fraudes em licitação.

O presidente ainda mencionou repasse no valor de R$ 253,9 milhões à universidades federais para investimentos em obras de infraestrutura.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política