MPF pede que prefeituras adotem medidas para evitar aglomerações em visita de Bolsonaro ao Ceará

No entendimento do órgão, "é grande a probabilidade" de a chegada de Bolsonaro formar aglomerações de apoiadores

Bolsonaro
Legenda: O presidente chega ao Ceará na manhã desta sexta-feira (26)
Foto: Evaristo Sá/AFP

O Ministério Público Federal (MPF) pediu para as prefeituras de Fortaleza, Tianguá e Horizonte adotem medidas para que aglomerações sejam evitadas durante a visita de Jair Bolsonaro (sem partido) ao Ceará nesta sexta-feira (26). O presidente vem ao estado assinar ordens de serviço em Tianguá e visitar obra em Caucaia.

"Os números da pandemia em todo Estado  inspiram atenção redobrada, permanecendo o isolamento social como política pública mais eficiente e indispensável no combate à disseminação do vírus", pontua o MPF, em nota. 

O órgão ainda recomendou as mesmas ações ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). No entendimento do MPF, "é grande a probabilidade" de a chegada de Bolsonaro formar aglomerações de apoiadores, principalmente em eventos de assinaturas de ordens de serviço de obras e discursos.

A recomendação ainda frisa o atual decreto estadual vigente no Ceará, que estabelece medidas de combate ao avanço da Covid-19 e institui toque de recolher no Estado: "No estado, que vive momento crítico na pandemia da covid, com aumento no número de casos e de mortes e com a circulação de novas variantes do coronavírus, foram adotas medidas preventivas".

Camilo diz não irá para evento

O governador Camilo Santana (PT) não encontrará o presidente Jair Bolsonaro durante visita ao Ceará para solenidades nesta sexta (26).

Não estarei presente a qualquer desses eventos, diante da real possibilidade de muitas aglomerações”, disse. “Tenho todo respeito à autoridade, mas não posso compactuar com aquilo que considero um grave equívoco“.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política