Medidas de isolamento 'prejudicam a economia', mas são 'único caminho', diz Camilo

O governador cearense defendeu a renovação do auxílio emergencial e um orçamento maior para a Saúde

O governador Camilo Santana voltou a defender, em Brasília, após encontro com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a necessidade de o Congresso Nacional aprovar um orçamento para a Saúde e também a renovação do auxílio emergencial, em meio à pandemia. O governador reconheceu que as medidas de distanciamento social prejudicam empresas e pessoas, mas que são “o único caminho” para conter o avanço acelerado dos casos.   

Em entrevista exclusiva ao Sistema Verdes Mares, o chefe do Executivo lembrou que a prioridade para ampliação do auxílio foi unânime entre os governadores durante reunião recente com os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM).  

“São duas demandas urgentes: a aprovação do orçamento da saúde e o auxílio emergencial, a importância de prorrogar por alguns meses diante da necessidade, porque muitos estados estão fazendo medidas de isolamento, isso prejudica a economia e as pessoas, mas é o único caminho e precisamos prorrogar o auxílio para o País inteiro”, disse.  

Camilo destacou que o Ceará tem investido na ampliação de leitos para acompanhar a crescente demanda assistencial. "Tínhamos a meta de chegar ao próximo dia 28 com 703 leitos, mas ontem (segunda, 22) já tínhamos 682. Na próxima segunda-feira (1º), estaremos com 811”, afirmou.  

O petista também reforçou o pedido para que a população cearense respeite as orientações sanitárias de distanciamento social. “É fundamental que as pessoas entendam que existe um limite da equipe médica e da estrutura física, então é fundamental a parceria e a compreensão da população com o distanciamento, não se aglomerar, usar máscara, para que possamos passar por esse momento”, concluiu. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política