Iguatu implanta barreira sanitária em todos os limites do município

Apenas moradores, trabalhadores de serviços essenciais, transportes de mercadorias para estabelecimentos essenciais poderão entrar no município. Os veículos que forem flagrados descumprindo o decreto estarão sujeitos à multa de R$ 200 por passageiro transportado

Legenda: A medida, prevista para durar até o dia 30 deste mês, busca conter o avanço do coronavírus no município

O prefeito de Iguatu, Ednaldo Lavor, publicou, nesta segunda-feira (13), decreto implantando barreira sanitária em todas as vias que dão acesso ao município. Apenas moradores, funcionários de empresas de serviços essenciais localizadas na cidade, transportes de mercadorias e casos de urgência e emergência médica serão liberados. 

A medida, prevista para durar até o dia 30 deste mês, busca conter o avanço do coronavírus no município - que já tem 7 casos confirmados da doença, sendo três óbitos, conforme dados da Secretaria da Saúde do Ceará atualizados hoje.

Os veículos que forem flagrados trafegando na cidade e não se encaixem nas diretrizes estabelecidas no decreto estarão sujeitos à aplicação de multa R$ 200 por passageiro transportado.

Moradores e trabalhadores da cidade, bem como transportadoras, deverão andar com documentos que comprovem a moradia, vínculo empregatício no município ou de prestação de serviço - nota fiscal, no caso de entregas de mercadorias essenciais em estabelecimentos em Iguatu.

A fiscalização nos limites de Iguatu será feita por agentes da Secretaria Municipal de Saúde, Guarda Municipal e pelo Departamento Municipal de Trânsito (Demutran).

Além da barreira sanitária, o Ednaldo Lavor já tinha implementado outras medidas para conter o avanço da Covid-19 na cidade, como restrição do funcionamento de estabelecimentos não essenciais. Em caso de descumprimentos, os proprietários dos comércios podem receber multa de R$ 1 mil a R$ 50 mil.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política