Emanuel Acrízio pede desculpas por desacatar PMs e alega que não estavam identificados

O vereador de Fortaleza foi detido, no último domingo (6), por urinar em via pública próximo a um carro quando teria desacatado os PMs durante a abordagem

O vereador de Fortaleza Emanuel Acrízio (PP), detido por urinar em via pública, no último domingo (6), em Fortaleza, pediu desculpas por desacatar policiais militares durante a abordagem e alegou que os homens não tinham nada que os identificassem como agentes de segurança. 

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSPDS), o flagrante foi registrado por policias militares no bairro Moura Brasil. Emanuel Acrízio estaria urinando ao lado de um carro quando foi abordado pelos agentes que teriam sido desacatados pelo parlamentar. 

O vereador foi conduzido ao 34° Distrito Policial (DP), onde foi realizado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e autuado Emanuel Acrízio em dois artigos, por desobediência e por prática de ato obsceno em via pública. Ele prestou depoimento e foi liberado em seguida.

Em nota, Emanuel Acrízio disse que se deslocava para a Barra do Ceará quando foi surpreendido por um carro branco comum, de onde, segundo ele, saíram três cidadãos de armas em punho vestindo camiseta e bermuda. O vereador afirma que não tinha nada que identificasse os homens como agentes de segurança.

Emanuel Acrízio disse que sentiu medo e, para resguardar a sua vida e da equipe de assessores que o acompanhava, pediu "o direito de falar em unidade policial", para ter certeza de que eram autoridades policiais.

"Naquele momento não pensei em desacatar ou produzir quaisquer atos inadequados para um cidadão, pois minha preocupação era o fato de que estava acompanhado de uma assessora e um assessor. Peço desculpa à população de Fortaleza por qualquer transtorno ou ato inadequado que tenha causado", afirmou.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política