Camilo inicia encontro com prefeitos por macrorregiões para alinhar novas ações contra a Covid-19

O foco do governador é reforçar a importância da Atenção Básica no combate ao novo coronavírus, tanto por meio da adoção do protocolo de tratamento na fase inicial da doença, quanto da identificação dos novos casos

Legenda: Os parlamentares também apresentaram demandas, como a possibilidade do Estado alugar pousadas e hotéis para acomodar pessoas de grupo de risco que vivem em situações precárias, concessão de refis para os meses de crises, fortalecimento de barreira sanitária, entre outras medidas
Foto: Foto: divulgação

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), participa na tarde desta quarta-feira (27) da segunda reunião com prefeitos cearenses por macrorregiões de Saúde. Dessa vez, o encontro é com gestores da Macrorregião Norte, que deve reunir prefeitos de 55 municípios. O objetivo é tratar de forma mais específica a demanda das diferentes regiões no combate à pandemia da Covid-19.

Na segunda-feira (26), o primeiro encontro foi com os 44 municípios que formam a Macrorregião de Fortaleza, da qual participaram cerca de 40 gestores. O foco do governador é reforçar a importância da Atenção Básica no combate ao novo coronavírus, tanto por meio da adoção do protocolo de tratamento na fase inicial da doença, quanto da identificação dos novos casos pela busca ativa dos grupos de risco com visita de agentes comunitários.

Camilo alinha novas medidas de combate à Covid-19 com prefeitos

O interior do Ceará tem visto o avanço rápido de novos casos de Covid-19 pelos municípios. Na reunião de ontem, o secretário da Saúde, Dr. Cabeto, afirmou que Sesa irá elaborar e disponibilizar para todos os municípios um projeto com estratégias para tratar da população de altíssimo risco. Outra proposta é que a flexibilização do isolamento social seja feita de forma regionalizada, com sugestões específicas do Governo do Estado para cada município.

Os encontros são articulados pela Associação dos Municípios do Estado (Aprece) e são uma oportunidade de os prefeitos também apresentarem as demandas específicas por município e por região, afirma o presidente da Aprece, Nilson Diniz.

Entre as demandas apresentadas ontem, pelos prefeitos da Macrorregião de Fortaleza, estão a necessidade de mais estrutura de atendimento especializado, a dificuldade na aquisição dos medicamentos da atenção primária, a demora na regulação, entre outras.

"O momento agora é de tensão porque a gente precisa mostrar para os prefeitos que há uma perspectiva de aumento da incidência nos municípios e a gente precisa fazer com a que a nossa proteção aumente", pontua Diniz.

As datas das reuniões com as Macrorregiões do Cariri, do Litoral Leste/Jaguaribe e do Sertão Central ainda não foram divulgadas.