A biometria vai ser utilizada na eleição de 2020?

Situação de quem não fez o recadastramento biométrico voltará a ficar irregular após as eleições.

Nas eleições municipais de 2020 a biometria não será utilizada. Por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mesmo quem não fez o recadastramento biométrico poderá votar em novembro. A escolha foi feita com base em recomendações de segurança sanitária de um grupo formado por médicos e técnicos do Tribunal. 

Uma das justificativas seria o tempo que os eleitores gastariam para votar. Com a biometria, a votação seria mais demorada devido a dificuldades de alguns eleitores com a leitura de digitais, aumentando também o tamanho das filas e da aglomeração. Além disso, a medida é tomada para diminuir o contato dos eleitores com superfícies compartilhadas, como o aparelho leitor de biometria.

Em março, o TSE suspendeu também o cancelamento dos títulos dos brasileiros que não tinham feito a biometria. A decisão impactou milhões de eleitores que ainda não tinham realizado o recadastramento, podendo agora votar normalmente nas eleições de 2020. No entanto, após as eleições, os títulos de quem não realizou a biometria voltarão a constar como cancelados no cadastro eleitoral. Portanto, é necessário que o eleitor busque regularizar sua situação após o pleito deste ano.

> O que pode e não pode fazer ao votar nas eleições 2020?

Como saber se tenho biometria cadastrada?

No site do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), o eleitor deve procurar pelo botão “Situação eleitoral” dentre os serviços ao eleitor listados na página principal. Ao informar o CPF ou o número do título de eleitor, o site disponibilizará a situação da inscrição como regular ou irregular, além de saber se tem a biometria cadastrada ou não. A informação pode ser consultada também pelo aplicativo E-título, disponível para celulares Android ou iOS.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política