Rua José Avelino e entorno têm filas e aglomerações antes de abertura das lojas no Centro da Capital

Pessoas se aglomeraram em filas que dobravam o quarteirão, próximas as feiras do Buraco da Gia e da José Avelino

foto
Legenda: Pessoas de aglomeraram em ruas do Centro de Fortaleza, a espera da abertura das lojas
Foto: Helene Santos/SVM

Grandes filas foram formadas na frente de comércios em diversos pontos do Centro de Fortaleza, na manhã desta quarta-feira (24), antes do horário de abertura dos estabelecimentos. As pessoas se aglomeraram, principalmente, nas vias das feiras do 'Buraco da Gia' e da José Avelino.

A capital está na fase 2 da reabertura econômica desde segunda-feira (22) e o comércio pode funcionar de 10h às 16h, seguindo as normas sanitárias.

Os comércios de Fortaleza reabriram no último dia 8, na primeira fase do plano de retomada. Os decretos estadual e municipal indicam que os estabelecimentos devem restringir o fluxo de pessoas e seguir o uso obrigatório de máscaras, além de disponibilizar materiais de higiene.

Vídeos do local mostram aglomerações formadas na frente dos comércios e galpões das lojas, ainda fechados. Extensas filas, que dobravam o quarteirão, foram vistas nas Ruas José Avelino, São José e na Avenida Alberto Nepomuceno. Aglomerações também foram flagradas nas proximidades do Mercado Central.

De acordo com a Agência de Fiscalização da Prefeitura de Fortaleza, a aglomeração de pessoas a espera da abertura das lojas é uma cena comum no Centro. O órgão também informou que as lojas dos galpões devem respeitar o protocolo da Secretaria de Saúde. Os estabelecimento irregulares são interditados.

As filas não seguiam as recomendações de distanciamento social e algumas pessoas estavam sem máscaras. Fiscais da Agefis e guardas municipais foram vistos no local. 

Segundo o diretor de operações da Agefis, Neuvani Vasconcelos, a agência está intensificando o trabalho de orientação das pessoas nas filas, pedindo a distância mínima de 1,5 m entre cada. "A gente tem feito essa abordagem informando se é realmente necessário estar ali na fila, porque querendo ou não o isolamento social continua", ressalta Vasconcelos. 

Os fiscais fornecem álcool em gel e máscaras, identificando os que estão sem os mecanismos de segurança, conforme o diretor. "Tem pessoas que realmente ainda insistem em não usar a máscara. E normalmente esses são os que a gente tem mais dificuldade de conversar", explica.

O órgão tem equipes fixa de fiscalização nas proximidades do Mercado Central de da Catedral. Neuvani afirma que é feito o monitoramento dos estabelecimentos, para verificar a segurança sanitária, e a expulsão de vendedores ambulantes. 

O Ceará registrou até a manhã desta quarta-feira (24) 99.302 casos confirmados da Covid-19, com 5.742 mortes. Fortaleza continua sendo a área mais afetada pelo novo vírus, com 33.908 casos confirmados, dos quais 3.173 evoluíram para morte. 

Fase 2 da Retomada Econômica

Com o avanço de Fortaleza para a fase II do Plano de Retomada Responsável das Atividades Econômicas e Comportamentais do Governo do Ceará, restaurantes, igrejas e outros tipos de celebrações religiosas, além de agências de publicidade e marketing devem reabrir as portas - mas ainda com restrições quanto ao fluxo de clientes e funcionários.

O que volta com 40% do trabalho presencial:

*exceto atividades religiosas, que retornam com 20%.

  • Agências de publicidade, marketing, edição e design;
  • Indústrias e serviços de apoio: organizações associativas, contabilidade, direito e serviços de apoio administrativo;
  • Consultoria em Tecnologia da Informação e Comunicação, software house e assistência técnica;
  • Assistência social: defesa de direitos sociais e serviços de assistência social sem alojamento;
  • Restaurantes;
  • Atividades religiosas com 20% da capacidade;
  • Aluguéis de equipamentos de esporte, cultura e lazer;

 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza