Gestão homenageada

Câmara Municipal de Fortaleza concedeu a Medalha Boticário Ferreira ao médico João Batista Silva, com mais de 30 anos de serviços prestados à saúde do Ceará.

Escrito por Redação,

Metro
Legenda: Médico João Batista Silva (ao centro) recebeu a homenagem na Câmara Municipal de Fortaleza, ao lado da esposa Jocélia e do filho Matheus (à esquerda).
Foto: Foto: LC Moreira

O médico João Batista Silva recebeu na última terça-feira (2) a Medalha Boticário Ferreira, concedida pela Câmara Municipal de Fortaleza, em razão de seus serviços prestados à saúde no Ceará e pelos mais de 30 anos de exercício da Medicina. Atendendo a um requerimento do Vereador Adail Júnior, a sessão solene no plenário Fausto Arruda contou com a presença de familiares e amigos do homenageado, que reconhece a importância da comenda. "Eu entendo como uma forma não só de reconhecimento pelo trabalho ao longo desses anos, mas também uma forma de aprovação do resultado desse trabalho", avalia João Batista Silva. "Essa homenagem é uma oportunidade de eu agradecer às pessoas que me ajudaram, me deram apoio, abriram as portas e continuam dando essa confiança para trabalharmos com objetivo de melhorar o sistema de saúde", disse o médico, atual Diretor Executivo do Hospital Zilda Arns Newmann (Hospital da Mulher).

Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Ceará (UFC) em 1988, João Batista Silva fez Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital Geral Dr. Cesar Cals, mas dedicou praticamente toda a carreira à área de gestão em saúde, tornando-se Especialista em Gestão Hospitalar. "Desde o início da minha formação, eu me interessei por esse trabalho de organizar os serviços de saúde para atender à comunidade. Sempre tive a visão de cuidar mais do coletivo, do que dos atendimentos individuais. E a Medicina nos dá muitas oportunidades de desenvolver projetos, pois a demanda e a carência são muito grandes", comenta João Batista Silva.

Realizações
Ao longo da carreira, o médico de 56 anos dirigiu renomados equipamentos de saúde pública no Ceará, como o Serviço de Verificação de Óbito (SVO), o Hospital Waldemar Alcântara, o Hospital Distrital Maria José Barroso de Oliveira (Frotinha da Parangaba) e o Hospital Geral de Fortaleza (HGF), maior hospital público da rede estadual – este, entre maio de 2016 e abril de 2019.

De acordo com João Batista Silva, foi à frente de algumas dessas instituições que realizou os principais feitos da carreira. "A rede estadual do Serviço de Verificação de Óbitos foi um projeto que particularmente me envolvi muito. Em 2006, havia deficiência no levantamento das causas de mortes no Ceará. Cerca de 40% dos óbitos não tinham causa definida. Isso dificultava as ações do sistema de saúde pública e as famílias sofriam muito para conseguir um atestado de óbito", conta João Batista. "Elaboramos um projeto muito eficiente, a ponto de ele se tornar referência para o Ministério da Saúde criar uma portaria nacional, baseado na nossa proposta", observa.

"Outro trabalho que me alegra foi o desenvolvimento do Núcleo de Atendimento do Cliente (NAC), na época da criação do Hospital Waldemar de Alcântara. É um sistema de informação para hospitais focado na atenção primária, secudária e terciária. Foi desenvolvido por mim e por uma equipe de colegas e colaboradores. É o melhor do Brasil, inclusive implantado em outros Estados", avalia o médico. "O sistema permite que a gente possa planejar, entender a realidade e tomar decisões, definindo prioridades e facilitando o acesso do paciente aos serviços de saúde", resume.

Qualificações
Como gestor, João Batista Silva trabalhou para elevar o nível de atendimento dos hospitais onde trabalhou, alcançando duas realizações que considera relevantes. "Coordenei um projeto de Gestão da Qualidade, chamado acreditação, que não existia no Ceará. Por meio dele, conseguimos certificar duas instituições do Estado: o Hospital Waldemar de Alcântara, pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), e o Hospital Regional da Unimed, pela Accreditation Canada, do Canadá. Ambos conseguiram o certificado máximo de excelência dessas organizações. É uma experiência que podemos levar para toda a rede de saúde do Estado, pois o sistema de Gestão da Qualidade é o que há de mais moderno para a rede de saúde", comenta o profissional.

Ainda como gestor, João Batista Silva foi Diretor Técnico do Hospital Regional da Unimed, entre 2010 e 2014. O médico é professor-assistente da Universidade Federal do Ceará, e por três anos lecionou no curso de Medicina da Universidade de Brasília (Unb). Especialista em Saúde Ocupacional, Mestre em Reprodução Humana pela Universidade de São Paulo (USP), João Batista Silva também é Doutorando em Saúde Ambiental pela Universidade Fernando Pessoa, de Portugal.

Casado com a médica Jocélia Maria de Azevedo Bringel, tem dois filhos (Matheus e Ana Camila) e afirma que ainda planeja contribuir muito com a saúde pública no Brasil. "Depois de tantos anos dedicados à Medicina, pretendo trabalhar para melhorar a assistência e a gestão dos serviços, desenvolvendo a linha de cuidados específicos para cada tipo de paciente, integrando as redes municipal, estadual e federal. Ao organizar, conseguiremos aproveitar muito mais a capacidade instalada dos hospitais, com mais acesso dos pacientes aos serviços e menos perdas de tempo", projeta o médico.