Escolas da rede pública de Fortaleza iniciam ano letivo com aulas 100% remotas

Ainda não há previsão de adesão ao modelo híbrido. Município não recebeu autorização das autoridades sanitárias para implementar atividades presenciais, diante da alta de casos de Covid-19

Legenda: Escolas da Rede Municipal de Ensino de Fortaleza continuarão vazias por mais algum tempo
Foto: Thiago Gadelha

Em regime 100% remoto, será iniciado, amanhã, o ano letivo 2021 na Rede Municipal de Ensino de Fortaleza. O Município não recebeu autorização das autoridades sanitárias para retomar as aulas presenciais devido ao agravamento de casos de Covid-19. Por isso, ainda não há nenhuma previsão quanto a uma possível adesão das escolas ao modelo híbrido, que mescla aulas presenciais e remotas.

"A gente segue no esforço de imunização dos profissionais (da Educação) para que a gente possa iniciar as atividades híbridas. É difícil prever quando isso vai acontecer por conta da chegada da vacina ainda para outros grupos prioritarios", afirma a secretária municipal da Educação (SME), Dalila Saldanha.

Sobre o funcionamento das creches e das escolas em tempo integral, a titular da SME informou que permanecerão fechadas. Com a retomada das atividades econômicas, muitos pais precisam trabalhar fora e não têm com quem deixar os filhos. "Essas unidades não vão funcionar, mas a gente segue no processo de interação com as famílias, elaborando um plano semanal de atividades". Saldanha reconhece que o atual cenário "é desafiador, mas a escola se desdobra em todos os horários para estar sempre à disposição da família, dando acompanhamento mais individualizado, quando necessário".

Aumento

Apesar de todas as dificuldades impostas aos professores e alunos na adaptação às aulas remotas, a SMS registrou redução da evasão escolar. De 2020 para 2021, aumentou em 4.000 o número de alunos matriculados na rede municipal. No ano passado, havia 231 mil matriculados na rede, enquanto 2021, soma 235 mil.

Dalila Saldanha atribui o incremento nas matrículas, sobretudo, ao esforço empreendido pelos professores para adequar as aulas presenciais às aulas remotas. Também à segurança alimentar, já que continuarão a ser distribuídos os kits de alimentação a alunos das 580 unidades da rede, que englobam escolas de tempo parcial, integral, centros de educação infantil e creches conveniadas.

Matrículas facilitadas

A manicure Andrea Andrade, 35, matriculou recentemente a filha Camilly Vitoria para cursar a 5º ano do Ensino Fundamental em uma escola municipal no Bairro Genibaú. Ela considerou o processo mais tranquilo. "A questão da matrícula foi até bom porque no ano que fui botar ela lá, tive que dormir, ir de madrugada (para a fila). Agora foi mais fácil, fiz diretamente pela internet, mas em compensação, não tem aprendizado".

Camilly é asmática e, por precaução, deve continuar a ter aulas remotas, mesmo se o modelo híbrido entrar em vigor. "Ela queria voltar às aulas (presenciais). Não tá empolgada e já fica é triste".

Além dos kits alimentação, o prefeito de Fortaleza, José Sarto, afirma que também serão entregues cerca de 21 mil tablets e 242 mil chips com pacotes de dados aos alunos para apoio às atividades. "Isso vai permitir que o aluno acesse não apenas o conteúdo escolar, mas tenham um excedente para outras práticas", afirmou o gestor.

Preparação

Saldanha também garante que as escolas estão praticamente prontas para receber os alunos, tão logo as aulas presenciais sejam liberadas. "Estamos com todos os insumos e equipamentos de proteção individual, todos em fase de entrega pelo fornecedor".

Ela conta que os equipamentos escolares passaram por todas as adequações necessárias aos cumprimentos do protocolo sanitário. Com áreas mais ventiladas, instalação de mais ventiladores, mais lavatórios para lavagem das mãos, álcool em gel em cada sala de aula, aferição de temperatura, até desinfecção de mochilas.

 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza

Assuntos Relacionados