Dois dos quatro cachorros abandonados em apartamento têm alta e Polícia abre inquérito

Os outros cães, da raça poodles, permanecem internados em estado grave. Um inquérito policial foi aberto para investigar o caso.

Legenda: Os cachorros da raça Shit-zu, rebatizados de Maggie e Spock, estão na casa da  protetora de animais Stefanie Rodrigues
Foto: Marina Alves

Dois dos quatro cachorros que foram abandonados durante seis dias sem água e sem comida em um apartamento, na Praia da Tabuba, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF),  tiveram alta da clínica veterinária e estão em sitação estável. Os cachorros da raça Shit-zu, rebatizados de Maggie e Spock, estão na casa da protetora de animais Stefanie Rodrigues, presidente da Organização Não Governamental Anjos para Proteção Animal (APA). Os outros cães, da raça poodles, permanecem internados em estado grave. Um inquérito policial foi aberto para investigar o caso.

"Ainda não há previsão de quando esses animais serão disponibilizados para adoção. O inquérito foi aberto ontem, então, ainda vai haver a denúncia do Ministério Público, vamos saber se eles aceitam ou não. Depois disso, iremos fazer adoção criteriosamente", explica Stefanie Rodrigues.

O resgate dos quatro cachorros foi realizado na tarde de segunda-feira (2). A protetora Stefanie Rodrigues participou da ação. "Quando chegamos no local, já havia o delegado da Polícia Civil, o doutor Henrique Silva. Tinha um animal em estado grave, em estado de inanição (estado de debilidade extrema provocado por falta de alimentação). Eles estavam em estado deplorável", narrou a mulher.

O casal (tutores dos animais) viajou e deixou os cães trancados sem alimentação. Os cachorros foram encontrados em local sujo e se alimentando das próprias fezes e urina. De acordo com o delegado Henrique Silva, do 11º Distrito Policial, que deu apoio no resgate dos bichos,  o casal vai responder por crime ambiental.  

Os cachorros foram acolhidos pela presidente da ONG, que os levou para uma clínica veterinária. Conforme Sthefanie Rodrigues, os animais estavam muito sujos, com pulgas e carrapatos. Ela teve dificuldade de encontrar petshops para banhá-los.

"Esses animais ficarão na nossa custódia. Denunciamos os proprietários e iremos processá-los por crime de maus trautos. Eles submeteram os animais à tortura psicológica", afirmou a protetora. "Nós protetores não vamos desistir de lutar pelos animais", completou.

 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza