CE tem 41 casos da Síndrome Inflamatória Multissistêmica associada à Covid-19 em 13 cidades

Do total, dois já vieram a óbito no Estado. Fortaleza concentra o maior número de casos da doença no Ceará

De acordo com uma nota técnica emitida pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), na tarde desta sexta-feira (7), até julho, o Ceará já tem 41 crianças e adolescentes, testadas positivamente para a Covid-19, com a Síndrome Inflamatória Multissistêmica, semelhante à Síndrome de Kawasaki. Os casos ocorreram em 13 municípios. Do total, dois já vieram a óbito no Estado.

 

As idades das crianças acometidas variam entre menores de um a 16 anos, sendo o caso mais novo com apenas cinco meses. O gênero mais afetado foi o masculino, com 22 dos 41 casos relatados até o último mês. 

Por faixa etária, conforme a nota, a com maior representatividade entre as crianças do sexo masculino foi a de 05 a 14 anos, sendo 59,1% e no sexo feminino na faixa de 10 a 14 anos com 47,4%.

As cidades que apresentaram casos foram Fortaleza (28), Caucaia (2), Aracoiaba (1), Barreira (1), Eusébio (1), Guaiuba (1), Itapajé (1), Maranguape (1), Paracuru (1), Pindoretama (1), Quixadá (1), Quixeramobim (1) e Umirim (1).  

Casos

Os sintomas apresentados pelas crianças e adolescentes foram febre intensa e persistente, irritação na pele, conjuntivite, diarreia, dor abdominal, náuseas, vômitos, tosse, dispneia, edema, mialgia e dor de garganta

Do total de relatos, seis apresentaram alguma comorbidade, sendo: um caso com cardiopatia e febre reumática; um autismo; um cisto ovariano; um doença celíaca, um com leucemia mielóide aguda e um dengue. 

Os casos foram atendidos em três hospitais, sendo 32 no Hospital Infantil Albert Sabin (Hias), sete no Luis de França e dois no Monte Klinikum. Em 39 dos 41 registros da síndrome houve internação, com média de permanência em 6 dias.

Alerta

Até esta quinta-feira (6), conforme o Ministério da Saúde, o Ceará lidera o número de casos da doença no País com 29 casos acompanhados pela Pasta nacional. O Estado está na frente do Rio de Janeiro (22), do Pará (18) e do Piauí (2).  

Em 20 de maio, um alerta sobre a doença foi emitido em parceria do Ministério da Saúde, Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR). Cerca de 300 casos da doença foram relatados no mundo em países como Espanha, França, Itália, Canadá e Estados Unidos, conforme o Ministério da Saúde.

Você tem interesse em receber mais conteúdo da cidade de Fortaleza?