Agefis fez 15 ações de fiscalização no fim de semana na Capital; houve dispersão de aglomerações

De 1 a 5 de julho já foram realizadas 65 ações, uma média de 13 ações por dia.

Legenda: Desde 8 de maio até 5 de julho, a Agefis já soma 2.313 ações de monitoramento, na Capital, com o fechamento de mais de 430 estabelecimentos.
Foto: Divulgação

Aglomerações nas praias da capital e baixo número de pessoas com máscaras, mesmo o uso ainda sendo obrigatório, foram imagens que marcaram o final de semana do fortalezense. Apesar de Fortaleza registrar mais de 37 mil casos do novo coronavírus, a população tem relaxado no protocolo sanitário. No último fim de semana, dias 4 e 5 de julho, a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) promoveu 15 ações de monitoramento do cumprimento do decreto estadual, que inclui dispersões de aglomerações, abordagens a estabelecimentos e ordenamento de filas.  

Visando orientar e conscientizar a população, que se aglomeravam principalmente nas praias, a Agefis promoveu ações de dispersão na faixa de areia da Beira-Mar com “abordagens à população presente no local, retirada dos ambulantes na área e orientação para o recolhimento dos guarda-sóis que estavam afixados na areia”, segundo nota.   

Além disso também foi promovido o fechamento de uma barraca de praia, que funcionava com atendimento aos clientes no local, antes da liberação que ocorreria apenas hoje (06), descumprindo assim medidas do decreto estadual. Também foram promovidas ações de conscientização na Rua José Avelino e na Avenida Beira-Mar.  

Também foi registrado o encerramento da feira livre do bairro São Cristóvão, por descumprimento de medidas estabelecidas no decreto estadual e uma dispersão de aglomeração no bairro São Miguel, onde funcionava um bingo. 

Apreensões 

A Agefis também promoveu apreensões de paredões de som nos bairros Bonsucesso, Cajazeiras e Messejana, durante o final de semana. Além do equipamento apreendido, os responsáveis também foram multados em R$ 1.346,93, de acordo com a Lei nº 9.756/2011, que é vedado “o uso de paredões de som nas vias, praças, praias e demais logradouros públicos”.      

Balanço geral

De acordo com nota da Agefis, do dia 1 de julho até o último domingo (5), o órgão já realizou 65 ações, resultando no fechamento de 35 estabelecimentos por “descumprimento das medidas do decreto” e o encerramento de uma feira livre.

Ainda segundo o órgão municipal já foram feitas 2.313 ações de monitoramento, que incluem dispersões de aglomeração, abordagem a estabelecimentos e ordenamento de filas, do dia 8 de maio até o 5 de julho. Em resultado dessas ações se somam 89 dispersões de feiras livres e 433 estabelecimentos fechados por descumprimento do decreto estadual.