Estímulo 2020: primeira fase deve atender 162 pequenos negócios no Ceará

Projeto trazido pelo Somos Um ao Estado ainda tem a meta de dobrar os números de atendimento

fotografia
Legenda: Podem solicitar o crédito empresas com faturamento anual entre R$ 120 mil e R$ 2 milhões, com valor contratado equivalente a até um mês de faturamento pré-pandemia. A condição elege 190 mil empresas cearenses que podem requerer o empréstimo.
Foto: Kid Júnior

Diante da dificuldade de acesso a crédito durante a pandemia, o Estímulo 2020 chega ao Ceará disponibilizando R$ 5 milhões em recursos para pequenas e médias empresas conseguirem permanecer de portas abertas. A previsão é que 162 negócios sejam beneficiados nesse primeiro momento, atingindo 366 empregos.

Lançada nesta terça-feira (25) no Estado através do Somos Um, negócio de impacto social, a iniciativa é financiada pela sociedade civil inspirada nos fundos de emergência rgulamentados nos Estados Unidos.

Podem solicitar o crédito empresas com faturamento anual entre R$ 120 mil e R$ 2 milhões, com valor contratado equivalente a até um mês de faturamento pré-pandemia. A condição elege 190 mil empresas cearenses que podem requerer o empréstimo. 

O empreendedor conta com uma carência de três meses e pagamento em 18 vezes, a uma taxa de juros de 6,5%. O crédito é recebido em duas parcelas, sendo a segundo após 60 dias mediante solicitação e nova análise.

Os negócios enquadrados nas Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAEs) mais prejudicadas pela pandemia, como dos setores de comércio, serviços e turismo, são o principal foco da iniciativa.

A fundadora do Somos Um, Ticiana Rolim, explica que o processo todo é feito digitalmente, através do www.estimulo2020.org, desburocratizando o acesso e fornecendo resposta em até 48h. As solicitações já podem ser realizadas e ficarão abertas enquanto a cifra disponibilizada não for contratada totalmente. 

"Nós sabemos que o Governo Federal tem linhas de crédito, que o Banco do Nordeste (BNB) também tem, assim como outros, mas ainda não é suficiente. Nós não vamos resolver todos os problemas, mas queremos dar oportunidade para a pessoas terem acesso a crédito", afirma.

Ele revela que a meta é dobrar o valor disponibilizado, chegando a R$ 10 milhões, que atenderiam 325 empresas, atingindo 675 empregos. "A médio prazo, a medida que formos recebendo esses valores de volta, eles não retornarão para as empresas que financiaram, serão reemprestados, irá ficar girando na economia local", destaca.

O projeto ainda fornece capacitação de gestão, educação financeira e mentoria para todos os empreendedores que se cadastrarem, independentemente de terem o crédito aprovado.

Quero receber conteúdos exclusivos do Vem Empreender