Zelador é condenado a 19 anos de prisão pelo assassinato da namorada

Sidiney Santos de Oliveira foi julgado pela 1ª Vara do Júri de Fortaleza pelo crime ocorrido em 2018

Legenda: A decisão foi dada pela 1ª Vara do Júri da Comarca de Fortaleza, na qual os sete jurados consideraram procedentes as acusações apresentadas
Foto: José Leomar

Um crime de feminicídio ocorrido em outubro de 2018, no bairro Sapiranga, teve sua definição nesta terça-feira (22). O zelador Sidiney Santos de Oliveira, 45, foi condenado a 19 anos de reclusão por ter assassinado a namorada Monaliza da Silva, em 15 de outubro daquele ano. 

A decisão foi dada pela 1ª Vara do Júri da Comarca de Fortaleza, na qual os sete jurados consideraram procedentes as acusações apresentadas pelo promotor de Justiça, Marcus Renan Palácio, do Ministério Público do Ceará (MPCE) e pelo assistente da acusação, o defensor público Leonardo Fulgêncio Júnior, integrante da Rede Acolhe, da Defensoria Pública do Ceará.

Além do feminicídio, o Júri também aceitou todas as qualificadoras do homicídio, como motivo torpe, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima. 

O crime

Monaliza era casada e tinha três filhos. Ela acabou conhecendo Sidiney por uma rede social, e eles namoraram por sete meses até o crime acontecer. Com o andamento da relação, ela passou a frequentar cada vez mais a casa do então namorado, conforme conta o Ministério Público na denúncia. 

O MPCE aponta que o condenado descobriu a existência do casamento da mulher e "atraiu a vítima até a sua residência, utilizando-se de dissimulação, prometendo-lhe, inclusive, certa quantia em dinheiro". Ao chegar na residência do feminicida, após uma breve discussão, Sidiney retirou a vida de Monaliza. A causa da morte, conforme a Perícia Forense do Ceará (Pefoce), foi traumatismo cranioencefálico contuso, associado a asfixia mecânica por estrangulamento

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança