Vistoria na CPPL III não encontra indícios de maus tratos a presos

Visita ao presídio foi feita pela OAB-CE, que também verificou superlotação e falta de estrutura.

Não foram identificados indícios de maus tratos físicos ou lesão corporal nos presos da Casa de Privação Provisória de Liberdade III (CPPL III) durante esta quarta-feira (16), em inspeção realizada pela Ordem dos Advogados do Brasil – Secção Ceará motivada pelas denúncias de familiares dos detentos. 

Ainda assim, foram verificados problemas estruturais noVistoria s locais onde os presos estão isolados, além da superlotação nas celas. "Verificamos uma situação bem complicada dentro das celas, tendo em vista a inexistência de colchões, a pouca ventilação, a superlotação com 25 homens em cada cela e a estrutura do prédio bastante desgastada. Em contrapartida, o médico da CPPL III que nos atendeu, relatou que a situação de saúde dos presos é considerada estável", afirmou Virginia Porto, presidente da Comissão de Direitos Humanos (CDH).

Também estiveram presentes na visita a membro da Comissão de Direito Penitenciário (CDP), Isabela Mustafá; e o Comitê Estadual de Combate à Tortura, através da membro Arnelle Rolim.   

As condições de trabalho dos agentes prisionais, assim como o os relatos de advogados criminalistas que atuam no local, também foram verificados. " Durante conversa, fomos noticiados pelos colegas que a principal demanda é a falta de estrutura disponibilizada para a Advocacia. O parlatório, por exemplo, é insuficiente para a capacidade de profissionais e isso atrapalha muito”, concluiu a presidente da CDH.

   

 

  

Você tem interesse em receber mais conteúdo de segurança?