Suspeito de participar de latrocínio em shopping se apresenta na delegacia e fica preso

Antônio Jaderson Lima de Moura compareceu ao DHPP, em Fortaleza, na tarde desta terça-feira. Ele é o quinto preso por participação no crime

Viaturas da Polícia Militar do Ceará no estacionamento do Shopping Iguatemi
Legenda: Viaturas foram acionadas para o estabelecimento
Foto: Rafaela Duarte

Um dos suspeitos de participar do latrocínio ocorrido na última sexta-feira (20) no Shopping Iguatemi Fortaleza e que ainda não tinha sido localizado pela Polícia se apresentou na tarde desta terça-feira (24) no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Antônio Jardeson Lima de Moura, 32, prestou depoimento e ficou preso pelo crime, segundo informação confirmada pela assessoria de comunicação da Polícia Civil do Ceará (PCCE).

Antônio Jardeson chegou à delegacia por volta das 15h30 acompanhado do seu advogado. A reportagem apurou que a defesa do suspeito acertou com um policial civil da Especializada a apresentação espontânea e comunicou formalmente nos autos que "qualquer declaração feita pelo suspeito supracitado sem a presença desse advogado seja nula e desentranhado dos autos, uma vez que o suspeito tem direito a ser acompanhado de seu advogado quando de sua oitiva perante a autoridade policial, devendo ser dado também o direito constitucional de ficar em silencio as perguntas que lhe forem feitas".

Conforme o advogado Márcio Borges de Araújo, responsável pela defesa de Jardeson, o suspeito não estava armado no dia do crime e fugiu quando viu que aconteceu um troca de tiros. A participação de Jardeson no roubo seria recolher as joias que seriam levadas da joalheria.

A defesa não entrou em detalhes sobre há quanto tempo o bando se conhecia e não informou se Antônio Jaderson irá ou não ficar preso por força de mandado. 

Jardeson é o quinto preso pelo latrocínioque vitimou a vendedora Caroline Alves da Rocha. Já haviam sido detidos: Douglas da Silva Dias, André Luiz dos Santos Nogueira, Antônio Duarte Araújo Enéas e Lúcio Mauro Rodrigues Ferreira. Durante a ação criminosa no Shopping Iguatemi, a vendedora chegou a ser feita de escudo humano por um dos quatro suspeitos já detidos.

André, Duarte e Lúcio já tinham sido presos no fim do ano passado envolvidos em uma mesma ocorrência. O trio foi solto no mesmo dia por decisão proferida por um juiz plantonista da Justiça Estadual. No histórico de Antônio Duarte consta ainda participação dele em assalto a uma loja ainda quando era adolescente.

Perícia

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) afirma que a Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) mobilizou uma equipe multidisciplinar envolvendo peritos da Coordenadoria de Perícia Criminal (Copec), Coordenadoria de Medicina Legal (Comel) e Coordenadoria de Análises Laboratoriais Forenses (Calf), para dar suporte a investigação do latrocínio.

"Para elucidação do crime, foram requisitadas e estão em processamento as perícias de vídeo, do local de crime, do exame de balística, do DNA Forense e de exames residuográficos, além de perícias médicos legais no corpo da vítima", conforme a Pasta.

As investigações apontam que o mentor do crime foi Lúcio Mauro. Ele afirmou à Polícia que esteve no shopping na mesma semana do crime para planejar o atentado. Conforme investigadores, o homem confessou ser o chefe do bando e disse ter dado apoio logístico ao crime.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança