Preso suspeito de negociar uma tonelada de droga, avaliada em R$ 1 milhão, com cartel da Colômbia

Entorpecentes seriam enviados ao Ceará

Escrito por Redação,

Segurança
A captura do suspeito ocorreu na última sexta-feira (20)
Legenda: A captura do suspeito ocorreu na última sexta-feira (20)
Foto: Reprodução/Instagram

Um homem foi preso em operação em conjunto de policiais civis do Ceará e Pernambuco, em Jaboatão dos Guararapes (PE), suspeito de negociar com um cartel da Colômbia uma tonelada de droga do tipo skunk, avaliada em R$ 1 milhão. A captura ocorreu na última sexta-feira (20).

De acordo com os órgãos de segurança, os entorpecentes negociados seriam enviados ao Ceará. Detalhes da operação foram divulgados em coletiva de imprensa na sede da Superintendência da Polícia Civil, no Centro de Fortaleza, nesta terça-feira (24). Inicialmente, chegou a ser divulgado que o cartel envolvido na negociação era no Paraguai. 

Renan Lemos dos Santos, 29, conhecido como "Galo Cego", era investigado pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) da Polícia Civil do Ceará desde meados de 2020 e já responde por tráfico de drogas. 

Ele é apontado como um dos principais fornecedores de entorpecentes, entre skunk, maconha e cocaína, para a região da grande Messejana, em Fortaleza. Com o decorrer das investigações, a polícia descobriu que ele havia fugido para Pernambuco.

Prisão

Renan foi localizado em um apartamento à beira-mar no bairro Candeias, em Jaboatão. Já em outro apartamento, a Polícia capturou seu comparsa, identificado como Fernando Uchoa Júnior, de 30 anos. Conhecido como "Nando", ele já responde por tráfico de drogas e por integrar organização criminosa. 

Fernando também foi apontado como o principal distribuidor de armas de grosso calibre no bairro Paupina, na Grande Messejana, para serem usadas em homicídios contra grupos rivais na região. Além disso, a investigação constatou que ele era responsável pela venda de drogas em Beberibe. 

Trazidos ao Ceará, os detidos foram autuados em flagrante por uso de documento falso e em seguida foram colocados à disposição da Justiça.