Homem que matou enfermeira a marretadas no Ceará deve ir para Instituto Psiquiátrico, decide Justiça

Juiz converteu a prisão em flagrante do suspeito em prisão preventiva e instaurou Incidente de Insanidade Mental

Escrito por Messias Borges, messias.borges@svm.com.br

Segurança
Casa de Saúde de Brejo Santo
Legenda: Homicídio ocorreu dentro da unidade hospitalar, no centro de Brejo Santo.
Foto: Google Street View

O homem que matou uma enfermeira a marretadas, dentro da Casa de Saúde Nossa Senhora de Fátima, no Município de Brejo Santo, na Região Sul do Ceará, teve a prisão preventiva decretada e deve ser transferido para o Instituto Psiquiátrico Governador Stênio Gomes (IPGSG), em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), conforme decisão da Justiça Estadual.

Em audiência de custódia realizada na última terça-feira (12), a 1ª Vara da Comarca de Brejo Santo converteu a prisão em flagrante de Lucas Gomes da Silva, 23, em prisão preventiva e determinou que a Secretaria da Administração Penitenciária do Ceará (SAP) providencie a "imediata transferência do preso" para o IPGSG.

O juiz Niwton de Lemos Barbosa considerou as "informações existentes nos autos de que o autuado é um paciente psiquiátrico, que apresenta agressividade e alucinações, e que, inclusive, estava internado por encontrar-se em surto psicótico" para também determinar a instauração de Incidente de Insanidade Mental, a fim de que o autuado seja submetido a exame médico-pericial, em um prazo de até 45 dias.

Nesse caso, a prisão é necessária para evitar que o autuado, na situação que se encontra, cometa novas infrações penais da espécie – dada a periculosidade evidenciada pela sua suposta falta de higidez mental, bem assim pelo modo de agir no caso em análise, a teor do que se tem até o presente momento."
Niwton de Lemos Barbosa
Juiz de Direito, em decisão

Ainda segundo a decisão judicial, Lucas da Silva não pode permanecer nas dependências de uma cadeia ou de um presídio normal. "Por fim, comunique-se à Cadeia Pública para que tenha ciência do incidente ora instaurado e adote o necessário a fim de garantir a segurança do autuado e dos demais que com ele mantenham contato – inclusive durante a transferência", conclui o magistrado.

Enfermeira foi assassinada dentro de hospital

A enfermeira Maria Sampaio Viana, de 53 anos, foi morta a marretadas por um paciente, dentro da Casa de Saúde Nossa Senhora de Fátima, no Centro de Brejo Santo, na manhã da última segunda-feira (11).

Lucas Gomes da Silva foi identificado como o autor do homicídio. Ele teria tido um surto psicótico e recebido intervenção da enfermeira para retornar ao quarto. Porém, irritado, o homem pegou uma marreta de uma área do hospital que está em obras e atingiu a profissional de saúde na cabeça.

A Polícia foi acionada e iniciou as buscas pelo suspeito. Lucas foi encontrado cerca de uma hora após o crime, em um terreno, onde se alimentava ao lado de uma cadeira de rodas, ainda sujo de sangue. Ele foi preso em flagrante.

O suspeito foi levado à Delegacia Regional de Brejo Santo, da Polícia Civil do Ceará (PC-CE), e autuado pelo crime de homicídio. Lucas já tinha passagens pela Polícia por contravenção penal, lesão corporal em âmbito familiar e furto.

Na noite do último domingo (10), antes de ser levado à Casa de Saúde, Lucas da Silva teria tido outro surto e invadido e danificado residências na comunidade onde mora, segundo a Polícia Civil. Um Boletim de Ocorrência (BO) foi registrado na Delegacia por policiais militares que atenderam a ocorrência, mas as vítimas não manifestaram o desejo de representar criminalmente contra ele na ocasião.