Garoto era torturado e seria morto no Pirambu

Policiais do Ronda do Quarteirão descobriram a vítima amarrada e envolta em um colchão que seria queimado

Durante um patrulhamento de rotina no bairro Pirambu (zona Oeste da Capital), durante a madrugada de ontem, policiais do Ronda do Quarteirão, se depararam com situação grave e inusitada; entro de uma casa, em um beco sem saída na Rua Olavo de Andrade, um adolescente (identidade preservada) estava sendo mantido em cárcere privado, torturado e seria assassinado.

Fotografias tiradas pelos PMs mostram como o garoto foi encontrado: amarrado, amordaçado, com uma corda no pescoço e enrolado no colchão FOTO: REPRODUÇÃO

Os criminosos já se preparavam para matar o garoto e, em seguida, queimar seu cadáver num "micro-ondas´, isto é, ele seria carbonizado envolto em um colchão em chamas. As cenas da violência chocaram os próprios PMs. O garoto estava topado, tinha uma corda amarrada no pescoço e estava amordaçado. Dois envolvidos na tortura e no plano de execução sumária acabaram sendo presos, entre eles, outro adolescente.

Acaso

O assassinato somente não se concretizou por um acaso. Eram por volta de 3 horas quando a patrulha RD-1123 do Ronda do Quarteirão fazia ronda pelo bairro e, ao passar pela Rua Olavo de Andrade, três pessoas saíram correndo do beco ao avistar a viatura, deixando uma casa com as portas abertas.

Os policiais perseguiram os três suspeitos e detiveram, dois deles. Em seguida, acharam estranho a casa estar com as portas abertas àquela hora. Além disso, ouviram gemidos e decidiram entrar no imóvel, foi, então, que se depararam, com as cenas de tortura. O rapaz seria morto por estar ´devendo´ aos traficantes do bairro, por ter comprado 15 gramas de crack e não pagou. Os suspeitos detidos confessaram que pretendiam matar o adolescente, por conta de uma dívida. "É muito difícil matar uma pessoa por conta de uma pequena quantidade de droga. Tem algo de mais grave nessa história, mas a vítima está visivelmente com medo e nada falou", disse o soldado Oliveira.

Rafael Souza da Silva, um dos três torturadores, acabou preso e foi levado para o 7º DP FOTO: REPRODUÇÃO

Dois dos três torturadores, Rafael Souza Silva, 21, e o comparsa dele, um adolescente de 16 anos, confirmaram o plano de matar o garoto, mas não revelaram o nome do mandante, que, provavelmente, seria o traficante que controla a venda de drogas no local. Na casa, completamente mobiliada, os PMs encontraram 14 ´dólares´ de maconha.

Os soldados Oliveira, Alan, Renan e L. Barros, que participaram do cerco, conduziram os detidos para a delegacia. O dono da casa não foi identificado.

FERNANDO BARBOSA
REPÓRTER
Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança