Projeto incentiva empreendedorismo local durante a pandemia

Jovens donos de pequenos empreendimentos de 16 comunidades em Trairi têm conseguido expandir aos negócios no momento de crise. Eles recebem capacitação e apoio financeiro da Agência de Desenvolvimento Local e da empresa Qair.

franciane foto empreendedorismo trairi
Legenda: Franciane revela que conseguiu aprimorar as estratégias de venda e montar um pequeno negócio mesmo durante a pandemia da Covid
Foto: Elionardo Oliveira

Pequenos negócios em Trairi, município do litoral Norte cearense, estão conseguindo se expandir mesmo diante da retração econômica causada pela pandemia do novo coronavírus. Esse feito deve-se ao trabalho de assessoria, monitoria e apoio realizado pela Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) e a empresa de energias renováveis, Qair, que atua em Trairi.

No total, 30 jovens de 16 comunidades participaram, no fim do ano passado, do projeto "Formação e Apoio a Jovens Empreendedores e Protagonistas Rurais" executado pela Agência. A capacitação é multissetorial e aborda desde os primeiros passos para os jovens empreenderem ao universo do negócio digital, que está em alta devido a pandemia. "O meu negócio está de vento em popa", comemora Samuel Carlos Barbosa, 26, dono de uma pequena churrascaria que está em expansão. "Em 2019, vendia dois frangos, mas agora são cem aves por semana", completa.

Depois de trabalhar como auxiliar de pedreiro e por sete anos em churrascarias de Fortaleza, Samuel Carlos fez o caminho de volta ao interior. Na localidade de Canaã começou vendendo espetinhos em uma calçada, mas transformou uma casa da família em uma churrascaria. "O curso me deu sabedoria comercial, saber administrar a empresa. Comecei sozinho, mas hoje tenho quatro trabalhando comigo", diz.

Outro exemplo é o artesão Albys Souza, 32, que após capacitação gratuita da Adel investiu três mil reais na compra de ferramentas de cortes de madeira para aperfeiçoamento das peças de decorativas. "Aprendi sobre educação financeira e para não receber encomendas além da minha capacidade de entrega no prazo para não aborrecer o cliente. As vendas ainda são direcionadas para o mercado local, mas já tem obras minhas em outros estados".

Franciane Vital, 30, também é uma das empreendedoras que enxergaram na crise uma oportunidade de se reinventar. Com o crédito de R$ 3 mil, abriu uma pequena confecção com foco na produção de peças femininas. "Trabalho com roupas por encomenda e o foco agora é investir em divulgação para ampliar as vendas".

Apoio

O diretor de Negócios da Adel, Wagner Gomes, analisa que o curso incentivou o desenvolvimento de capacidades técnicas, gerenciais e na elaboração de projetos de negócios para os jovens empreendedores. Ele destaca ainda que, para os jovens que precisam de capital, há o apoio financeiro por meio do Fundo Veredas, iniciativa de crédito própria e particular criada pela Adel, que teve os investimentos financeiros da Qair Brasil.

"Além dos 30 jovens, outras dez pessoas já foram selecionadas para receber apoio financeiro e assessorias para desenvolver seus trabalhos com autonomia", adiantou Gomes. "Ofertamos ainda consultoria de comunicação e marketing para os negócios". Essa fase se estende até este mês de março.

Wagner Gomes ressalta que todos os empreendimentos estão inseridos na comunidade para que os jovens empreendedores "entendam o contexto em que estão inseridos, observando o ponto de vista econômico, social e de criação", além de beneficiar, indiretamente, a comunidade como um todo, com a movimentação financeira.

Seleção

A escolha dos empreendedores atende a um processo de mobilização social e análise de perfil dos inscritos - escolaridade, experiência, existência de empreendimento anterior e desejo de investimento. Foi definida a faixa entre 18 e 32 anos. Após seleção, "há entrevista, visita à localidade para conhecer o inscrito e a realidade local", explica a diretora de Programa da Adel, Aurigele Alves.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará