Festival discute criação de polo metalmecânico

O Festival dos Caminhoneiros de Tabuleiro segue até amanhã, com desfile de mais de 200 carretas

Tabuleiro do Norte. Maior do Interior do Estado, o polo metalmecânico deste Município poderá se tornar referência para o Nordeste, com a construção do polo industrial concentrando todos os segmentos da cadeia produtiva dos caminhões num mesmo lugar. O projeto está em fase de conclusão, e a execução das obras deve ocorrer por meio do Programa de Desenvolvimento dos Polos Regionais, parceria do Governo do Estado com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Conhecida na região Nordeste como a "cidade dos caminhoneiros", Tabuleiro do Norte reúne profissionais da estrada de todo o País, que estacionaram as cargas pesadas neste fim de semana para cuidar da saúde, dos negócios e ainda se divertir. A cidade é recheada de oficinas mecânicas e fábricas de peças para esses veículos. Há 20 anos ininterruptos, o Festival dos Caminhoneiros de Tabuleiro segue até amanhã, com desfile de mais de 200 carretas.


A construção de um polo aproximaria caminhoneiros dos fabricantes de peças Foto: Melquíades Júnior

O evento tem o apoio da TV Diário. As principais fabricantes do segmento de caminhões no Brasil fazem um verdadeiro feirão de compra, venda e financiamento de veículos pesados. Scania, Volvo, Wolksvagen e Ford esperam comercializar em todo o fim de semana até R$ 6 milhões em veículos. Interessados não faltam. Somente em Tabuleiro do Norte, são mais de mil caminhoneiros e pelo menos 650 caminhões dos próprios habitantes. As ruas pequenas ficam ainda menores com o tráfego desses veículos.

A Associação dos Caminhoneiros de Tabuleiro do Norte (Acatan) está concluindo projeto que, se executado, será a maior transformação no já conhecido setor metalmecânico da cidade. Em um terreno de 50 hectares da própria associação, se está planejando a criação do polo industrial que vai concentrar as diversas fábricas de peças de caminhão, oficinas mecânicas e lojas de venda de acessórios. O projeto já está em fase de conclusão, a ser enviado para equipe da Secretaria das Cidades, órgão estadual que já havia solicitado o levantamento justamente pelo potencial de investimento nesse setor pelo BID. O polo metalmecânico poderá ser um dos polos regionais que serão criados nos vales do Jaguaribe e do Acaraú, ao custo total de R$ 106 milhões.

"É dessa forma que conseguiremos tirar os caminhões das ruas da cidade, que já são muito estreitas e ficam mais danificadas com caminhões estacionados. Já ocorreram vários acidentes, e garantindo um espaço para os caminhões poderemos evitar", afirma Neto Trajano, presidente da Associação dos Caminhoneiros de Tabuleiro.

O setor empresarial acredita que a construção de um polo aproximará o caminhoneiro dos setores fabricantes e fornecedores de peças. Assim pensa Djaci Pereira, dono de uma oficina de alongamento de baús de caminhão. Entrega encomenda de vários Municípios da região e de Estados vizinhos, como o Rio Grande do Norte. "Faço dois alongamentos de baús por mês, centralizando tudo relacionado a caminhão. Acredito que meu trabalho ficará mais visível e terei mais encomendas", afirma o empreendedor.

Tradição

Francisco Juvenil Maia só passa dez dias do mês em casa. Quando sai, as filhas Amanda e Paloma ficam chorando, "mas eu digo que ´é isso mesmo, minhas filhas, papai tem que trabalhar´, mas é difícil, e eu choro também", afirma o caminhoneiro. Mas todo retorno é de alegria, e ele tem orgulho da profissão que herdou do pai, José Maciel, que aposentou-se após 35 anos trabalhando na estrada.

Moradores sujos de graxa, barulho de motor, buzina e de solda são imagem e sons comuns para quem mora em Tabuleiro do Norte. A cidade ainda é referência na produção de eixos e engrenagens de caminhão. Alguns mecânicos aprenderam de forma autodidata, depois os próprios filhos fizeram curso superior para trabalhar no ramo.

Bênção

Com a bênção de São Cristóvão, o padroeiro dos caminhoneiros, e não sem uma "abençoada" frase no para-choque, os caminhões ficam mais comuns do que bicicletas nas ruas de Tabuleiro do Norte nos quatro dias de festival. Nos demais dias do ano, é um caminhão para cada 41 pessoas. De cada 17 habitantes, um é caminhoneiro.

Nos dias de festa, juntam os caminhoneiros de fora e de dentro. Quem tem disposição, participa do Torneio da Acatan, realizado todos os anos com direito a medalhas e troféus. Mas é outra competição a que mais chama a atenção no festival. Na Gingana Tecnológica, engenheiros mecânicos e tecnólogos do Instituto Federal do Ceará (IFCE) criam defeitos nos veículos para que os próprios caminhoneiros consigam resolver. Ganha quem puser o veículo para funcionar no menor tempo.

FIQUE POR DENTRO
Evento começou como diversão entre colegas

O Festival dos Caminhoneiros teve início com a criação da Associação dos Caminhoneiros de Tabuleiro do Norte (Acatan). Os colegas tiravam o fim do mês de agosto para reunirem-se com diversão e jogos de lazer. Com o tempo, agregou-se valor ao evento por meio da inclusão das feiras de negócios. Assim, bancos e grandes fabricantes de veículos da "linha pesada" encontraram no evento uma porta para muitos potenciais clientes. A tradição da cidade de ser terra dos caminhoneiros ganhou força com o desenvolvimento do setor produtivo metalmecânico. Ponto marcante do evento será a carreata com mais de 200 veículos pesados desfilando pelas ruas principais da cidade. Antes, os filhos dos caminhoneiros desfilam com mini-carretas de brinquedo.

Custo

106 milhões de reais será o custo total do polo industrial. O projeto já está em fase de conclusão, a ser enviado para equipe da Secretaria das Cidades do Estado

Mais informações:
Associação dos Caminhoneiros de Tabuleiro do Norte
Rua Batista Maia, 4319, Centro
Telefone: (88) 3424.2324


MELQUÍADES JÚNIOR
REPÓRTER
Você tem interesse em receber mais conteúdo da região do Ceará?