Escola de samba de Barbalha fabrica máscaras e EPI's para profissionais de saúde

O tecido que sobrou do desfile do Carnaval 2020 foi reaproveitado em máscaras, aventais e calças de proteção.

Legenda: A partir do material que sobrou do carnaval, as peças foram costuradas e entregues às unidades básicas de saúde (UBS) do Município.
Foto: Fotos: Toni Sousa

Integrantes da escola de samba Mocidade Independente dos Bairros Unidos, de Barbalha, que representa as comunidades de Vila Santo Antônio e Bela Vista, estão fabricando máscaras, aventais e calças de proteção para os profissionais de saúde que estão trabalhando no combate à Covid-19. A partir do material que sobrou do carnaval, as peças foram costuradas e entregues às unidades básicas de saúde (UBS) do Município.  

Ao todo, já foram confeccionadas 700 máscaras de tecido TNT, que sobrou das fantasias e alegorias utilizadas no Carnaval deste ano. Além disso, os componentes estão realizando uma campanha de arrecadação e doação de alimentos. Cerca de 30 famílias já foram beneficiadas.  

Segundo o presidente da Mocidade, Eldon Cesário de Souza, a ideia surgiu após os próprios moradores da comunidade perceberem a ausência de equipamentos nas UBS.  “A gente uniu um grupo de amigos e vimos a necessidade. Juntamos a bateria para fazer a arrecadação de cestas básicas para o pessoal mais carente. A gente tem conseguido ajudar muitas pessoas”, garante.  

Legenda: A ideia surgiu após os próprios moradores da comunidade perceberem a ausência de equipamentos nas UBS

A costureira Sheila Veloso, que tem ajudado fabricar as peças, espera que haja uma maior adesão, "porque todo material que restou do carnval já acabou e, agora, os integrantes da escola estão comprando os tecidos do próprio bolso". Ela acrescenta que "já conseguiu apoio de várias instituições e agora quer ampliar adesão para outras escolas de samba de Barbalha”.  

Os interessados em doar alimentos, tecido TNT ou elásticos para as máscaras, pode entrar em contato através do telefone: (88) 99615-6446.