Pagamento da 1ª parcela do 13º de servidores da Capital é adiado

Medida foi anunciada, nesta terça-feira (2), pelo prefeito Roberto Cláudio em reunião virtual com vereadores de Fortaleza. Na ocasião, ele também apresentou um balanço das ações da Prefeitura no enfrentamento à pandemia de Covid-19

Legenda: Aos vereadores, o prefeito ressaltou a importância da construção do Hospital do PV e rebateu críticas
Foto: Fabiane de Paula

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) participou, nesta terça-feira (6), de reunião virtual com os vereadores de Fortaleza para prestar contas sobre ações da Prefeitura no combate ao novo coronavírus na Capital. Além de apresentar dados sobre a ampliação da rede municipal de Saúde para atendimento de pacientes com Covid-19, também comentou críticas feitas ao hospital de campanha construído no estádio Presidente Vargas (PV). Com pouca participação dos parlamentares, durante a reunião, o prefeito anunciou ainda o adiamento do pagamento da primeira parcela do 13º salário dos servidores municipais.

O adiamento desta primeira parcela teve como justificativa a "prudência" quanto ao cenário econômico instável do País e, principalmente, aos investimentos necessários para o enfrentamento à Covid-19. "A gente está vivendo uma pandemia e há um cenário de incertezas econômicas, cenário de gastos em saúde, que a gente não tem noção de limites deles", explicou. O montante de cerca de R$ 97 milhões seria pago neste mês de junho a cerca de 52 mil servidores da ativa, aposentados e pensionistas, segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Fortaleza. O valor corresponde a 40% do salário pago aos servidores municipais.

O pagamento, contudo, está garantido, ressaltou Roberto Cláudio. "Nós estamos com o dinheiro contingenciado, mas não achamos prudente. A gente vai analisar isso mês a mês", disse.

O único objetivo da medida, assegura a Prefeitura, é manter estes quase R$ 100 milhões em caixa - em caráter temporário - para eventual utilização em casos emergenciais. Ainda de acordo com a assessoria de imprensa do Executivo, em 2019, o pagamento da primeira parcela do 13º salário dos servidores custou pouco mais de R$ 92 milhões aos cofres municipais.

Balanço

A reunião virtual com o prefeito foi feita após convite da Frente Parlamentar de Enfrentamento ao Coronavírus da Câmara Municipal de Fortaleza. Segundo o presidente da Casa, Antônio Henrique (PDT), ao menos 37 vereadores estavam presentes no início da videoconferência.

"Foram muitas ações que o Executivo fez e que tiveram a fiscalização do Legislativo, por meio dos vereadores desta Frente Parlamentar", explicou Henrique. Segundo ele, a Frente deve convidar também secretários municipais para prestarem esclarecimentos sobre as ações realizadas pelo Executivo municipal.

O encontro entre Roberto Cláudio e parlamentares teve o tempo limitado devido à agenda do prefeito e teve pouca participação dos vereadores, seja com apontamentos ou com dúvidas sobre medidas adotadas pelo Executivo desde o início da pandemia.

O prefeito aproveitou as duas horas para fazer uma apresentação detalhada das ações da Prefeitura. Entre os destaques, o aumento do número de leitos na Capital - tanto de UTI, como de enfermaria ou observação- para o tratamento de pacientes com Covid-19, além da ampliação da rede hospitalar municipal.

Além disso, ele detalhou dados sobre os casos confirmados, o número de óbitos, a curva de contágio na Capital e a procura por unidades hospitalares. Também mostrou números a respeito da adesão ao isolamento social, como a demanda de transporte público e o volume de tráfego.

Roberto Cláudio ressaltou a importância da construção do hospital de campanha no estádio Presidente Vargas e disse que responder a críticas "faz parte da democracia". "Seria absolutamente criminoso ficar omisso e não ter feito (o hospital)", acrescentou. Ele destacou que mais de mil atendimentos foram realizados apenas nessa unidade.

Imunidade

Entre as medidas anunciadas pelo prefeito, está a inauguração de uma das alas do Hospital da Criança, com 70 novos leitos, de maneira antecipada ainda em junho. A previsão é de que a estrutura de toda a unidade esteja finalizada até o começo de agosto, mas a liberação de leitos foi antecipada para dar suporte à demanda de pacientes com Covid-19.

Além disso, até a próxima segunda-feira (8), deve ser divulgado resultado de pesquisa feita pela Prefeitura de Fortaleza e pelo Governo do Estado com universidades cearenses. O objetivo é calcular o nível pessoas já imunes na Capital.

"Isso vai determinar o nível de comportamento das pessoas. A vida não vai voltar ao normal por efeito de decreto", considerou Roberto Cláudio. "A vida coletiva vai estar comprometida até que se atinja ou o acesso à vacina ou a imunidade de pelo menos 60% da população", concluiu.

Prefeito pede apoio de vereadores

O prefeito Roberto Cláudio aproveitou a reunião com os vereadores e pediu o apoio dos parlamentares para a continuidade do isolamento social na Capital. Ele ressaltou que "não há nenhuma medida no mundo que tenha mais efeito" do que o isolamento para reduzir a curva de contágio pelo novo coronavírus e, por isto, apesar do fim do lockdown em Fortaleza, é necessário reforçar nos bairros a importância de permanecer em casa.

"Esse papel de liderança de vocês é fundamental neste momento", destacou Roberto Cláudio ao pedir aos vereadores que reforcem os trabalhos de conscientização nos bairros da cidade. Segundo ele, três Regionais têm preocupado a gestão, por concentrarem casos e ter menor adesão às medidas de isolamento. A Regional 1, que engloba bairros como Barra do Ceará e Vila Velha, conta com apenas 48,7% de adesão ao isolamento, enquanto a Regional 3 (na qual estão localizados bairros como Quintino Cunha e Antônio Bezerra) tem uma média de 42,5%.

Entretanto, a Regional com menor índice de adesão ao isolamento é a 5, na qual estão localizados bairros como Conjunto Ceará e Bom Jardim, com apenas 40,5% das pessoas aderindo ao isolamento.

O prefeito informou ainda que, mesmo tendo sido essas as regiões com campanha de conscientização, incluindo uso de carros de som, e de fiscalização mais intensa, ainda há obstáculos.

"Por isso, eu conversei com vereadores, principalmente os que têm trabalho nas regiões. É fundamental que a gente persista no isolamento social e é importante esta mensagem dos senhores", ressaltou.