Polícia Federal: R$ 600 mil apreendidos com suspeitos de crime eleitoral em Caucaia

Cinco pessoas foram levadas à sede da Polícia Federal para serem ouvidas e outras duas apreensões ocorreram no município às vésperas do segundo turno

Dinheiro apreendido
Legenda: Foram apreendidos cerca de R$ 600 mil com os suspeitos de crimes eleitorais

Abordagens da Polícia Civil resultaram na apreensão de cerca de R$ 600 mil por suspeita de crime eleitoral em Caucaia. Cinco pessoas foram detidas na manhã deste sábado (28) no bairro Parque Potira, inclusive secretários da gestão municipal e o irmão do atual prefeito e candidato a reeleição, Naumi Amorim (PSD). Além disso, também foram feitas apreensões com o assessor de uma deputada estadual na noite desta sexta-feira (27) e com um servidor público de Caucaia neste sábado.

Por se tratarem de suspeita de crime eleitoral, os casos foram encaminhados para a sede da Polícia Federal no Ceará. Segundo o delegado regional de combate aos crimes eleitorais da PF, Alan Robson Alexandrino, "não havia uma situação de flagrante delito, mas havia suspeita que justificou apreensão do dnheiro, celulares e computadores". 

No total, foram três apreensões realizadas no município às vésperas do segundo turno. Na noite desta sexta-feira (27), o assessor de uma deputada estadual foi abordado pela Polícia Civil no bairro Picuí em situação suspeita. Foi apreendido o celular, material de campanha e R$ 2 mil. Não houve prisão em flagrante. 

No sábado, a Polícia Civil interceptou um veículo no bairro Parque Potira. No carro estavam três pessoas com uma quantia em dinheiro oculto dentro das vestes. Além disso, também foram apreendidos celulares, cadernos com listas de nomes e material de campanha. Logo após, houve uma diligência até um apartamento localizado no mesmo bairro, onde foram detidas mais duas pessoas. 

Somada, a quantia encontrada com o grupo foi de cerca de R$ 600 mil. Entre os detidos, estava o irmão do prefeito, Miguel Amorim, e secretários da gestão municipal. Ainda na manhã deste sábado, um servidor público de Caucaia foi levado a sede da Polícia Federal. Com ele foram apreendidos R$ 3,1 mil, computador e material de campanha.

Todos foram ouvidos pela PF e liberados. A maioria, contudo, escolheu permanecer em silêncio. Segundo Alexandrino, as situações estão sendo consideradas suspeitas de crime eleitoral. "O material vai ser analisado. O importante é o trabalho de investigação para chegar ao caminho desse dinheiro".

A coordenação de campanha de Naumi Amorim (PSD) divulgou nota sobre detenção de aliados pela Polícia Federal. No texto, a equipe afirma que está aguardando “o resultado dos procedimentos”, mas que se mantém “absolutamente tranquila e disposta a colaborar com as investigações”.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política