“O povo brasileiro não será cobaia de ninguém”, diz Bolsonaro sobre vacina CoronaVac

Presidente diz que a vacina só será disponibilizada após aprovação do Ministério da Saúde e da Anvisa

Legenda: Brasil deveria adquirir 46 milhões de doses da CoronaVac
Foto: Vincenzo Pinto/AFP

O presidente Jair Bolsonaro publicou no seu perfil oficial do Facebook comentário sobre a vacina CoronaVac, afirmando que a fórmula não será comprada pelo Brasil. O anúncio já tinha sido feito por meio de resposta a comentários de seguidores. De acordo com o presidente, o gasto de R$ 2,6 bilhões em 46 milhões de doses da vacina divulgado pelo Governo Federal nesta terça-feira (20) “não se justifica”. Ele argumenta que a vacina ainda está em fase de testes. Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (21), o Ministério da Saúde voltou atrás e disse que "não há intenção de compra de vacinas chinesas". 

“O povo brasileiro não será cobaia de ninguém”, diz no texto da postagem. Chamando a fórmula de "vacina chinesa de João Dória", governador de São Paulo, ele afirma que a CoronaVac deve ser aprovada pelo Ministério da Saúde e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) antes de ser disponibilizada para a população. 

Camilo Santana (PT), governador do Ceará, pediu que a compra da vacina fosse direcionada por “critérios unicamente técnicos”. Em postagem no seu perfil oficial do Twitter, o governador opinou que “não se pode jamais colocar posições ideológicas acima da preservação de vidas”. 

A vacina CoronaVac deve ser produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a empresa chinesa Sinovac. Em reunião com governadores na terça-feira (20), o ministro da Saúde Eduardo Pazuello afirmou que a compra só seria efetivada após certificação da Anvisa. Negociações acontecem para a compra de outras duas vacinas. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política