MPF apura denúncias de 'fura-filas' da vacinação contra a Covid-19 na Grande Fortaleza

Prefeitos de Aquiraz e Eusébio alegam se enquadrar no grupo prioritário desta primeira fase da vacinação

vacina
Legenda: Plano define estratégias de vacinação contra à Covid-19
Foto: José Leomar

O Ministério Público Federal (MPF) investiga se houve irregularidade na vacinação dos prefeitos dos municípios de Aquiraz e Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza. Eles foram vacinados nesta primeira fase da campanha de imunização contra a Covid-19 no Ceará, que prioriza somente profissionais de saúde, idosos em Instituições de Longa Permanência (ILPIs) e indígenas. 

Conforme publicado no Diário do Nordeste, o prefeito de Eusébio, Dr. Acilon Gonçalves (PL), foi o primeiro a ser vacinado na Cidade. O filho dele, Bruno Gonçalves (PL), que é gestor de Aquiraz, também esteve entre os contemplados nesta etapa. Ambos são médicos e justificam estar na linha de frente de combate à Covid-19. 

Em nota, o MPF informa que instaurou procedimento para apurar se doses do primeiro lote de vacinas que chegaram “estariam sendo aplicadas sem respeito à lista de prioridades definidas pelas autoridades de saúde no País”.

No Brasil, o Distrito Federal e mais sete estados são alvos da mesma investigação: Amazonas, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rondônia, Pará e Paraíba. 

Vacinação no Ceará 

A imunização contra a Covid-19 começou no Estado na última segunda-feira (18), após a chegada de remessa de 218 mil doses da CoronaVac. Com a vinda do primeiro lote dos imunizantes, 109 mil pessoas devem ser vacinadas em todo o Estado, considerando que cada pessoa precisa de duas doses.

São contemplados nesta etapa idosos internados em instituições de longa permanência e os trabalhadores da saúde que estão na linha de frente de combate à Covid-19, tanto em instituições públicas quanto privadas. Somente as pessoas enquadradas nestes perfis poderão ser vacinadas com este primeiro lote.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política