Ibope mede poder de influência de líderes na eleição da Capital

Pesquisa encomendada pela TV Verdes Mares aponta que o ex-presidente Lula e o governador Camilo Santana são os que mais aumentam as chances de voto; Roberto Cláudio, Ciro e Bolsonaro também foram avaliados

O voto do eleitor de Fortaleza também é influenciado pelo posicionamento de lideranças nacionais e estaduais. Primeira pesquisa Ibope sobre a corrida eleitoral pelo Paço Municipal mediu o impacto de atores políticos na intenção de voto do fortalezense. O ex-presidente Lula e o governador Camilo Santana, ambos do PT, são as lideranças que mais aumentam as chances de os fortalezenses votarem em uma candidatura à Prefeitura, enquanto o presidente Jair Bolsonaro é quem mais diminui as chances de voto, caso apoie um candidato.

A pesquisa foi encomendada pela TV Verdes Mares e registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número CE-05307/2020. O Ibope ouviu 602 eleitores entre a última segunda-feira (12) e ontem (14). O nível de confiança da pesquisa é de 95%, ou seja, esta é a probabilidade de os resultados retratarem o atual momento eleitoral.

Os entrevistados foram questionados sobre como o apoio de determinado governante ou liderança política a um dos candidato à Prefeitura de Fortaleza pode impactar a escolha dessa candidatura no dia 15 de novembro. 

Os questionamentos foram feitos a respeito do presidente Jair Bolsonaro, o governador Camilo Santana (PT), o prefeito Roberto Cláudio (PDT), além do ex-presidente Lula e do ex-ministro e presidenciável Ciro Gomes (PDT). 

Camilo

O governador Camilo deve ser “o grande fator decisivo nessa campanha”, aponta o cientista político Cleyton Monte.

Quase 30% dos entrevistados afirmaram que votariam em um candidato indicado pelo governador, enquanto apenas 15% disseram que ser apoiado por Camilo diminuiria as chances de voto. 

Além disso, a avaliação do Governo de Camilo também é positiva: 56% dos entrevistados consideram a gestão do petista à frente do Governo do Estado ótima ou boa. Por outro lado, apenas 4% apontam como ruim ou péssimo. 

Ex-presidente

O ex-presidente Lula exerce a maior influência positiva sobre os votos na Capital. Ser o candidato indicado pelo ex-presidente aumenta em 37% as chances de voto para prefeito de Fortaleza, aponta a pesquisa. Contudo, a rejeição também é relevante: 23% dos eleitores não votariam em alguém apoiado por Lula.

“O antipetismo não é forte em Fortaleza. Então, o Lula não é uma figura desprezada, tem uma simpatia do eleitor”, aponta Cleyton Monte. Por isso, o nível de influência do petista na eleição de Fortaleza não surpreende, acrescenta. 

As imagens de Lula e de Camilo têm sido atreladas à campanha de Luizianne. O governador, no entanto, faz parte do grupo político liderado pelos irmãos Cid e Ciro. “(Esse cenário) é muito bom para a Luizianne, tanto porque ela tem o apoio explícito de Lula, como também é quem pode, no primeiro turno, usar por direito a imagem do Camilo”, argumenta o cientista político e professor da Uece, Emanuel Freitas. Camilo tem feito, entretanto, sinalizações, a Sarto (PDT).

Prefeito

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) também exerce influência no voto de Fortaleza. Segundo a pesquisa Ibope, para 23% dos entrevistados o apoio do prefeito aumentaria a chance de votos. Por outro lado, 21% não votariam no candidato aprovado pelo pedetista. Contudo, para mais de 50%, o apoio de Roberto Cláudio não influenciaria na escolha para prefeito de Fortaleza. 

Candidato governista à sucessão, Sarto Nogueira tem apostado em associar sua imagem a de Roberto Cláudio, prezando pela continuidade das ações iniciadas nos últimos oito anos de administração.

A pesquisa Ibope também trouxe a avaliação da gestão de Roberto Cláudio à frente da Prefeitura. Dentre os entrevistados, 49% avaliam como ótimo ou bom. Enquanto para 14% consideram ruim ou péssimo o período dele à frente da Prefeitura de Fortaleza. 

“A aprovação do Roberto Cláudio é boa para um governo que está em final de gestão”, aponta Monte. 

Ciro

Também do PDT, a indicação de uma candidatura por Ciro Gomes aumenta em 19% a chance de votos em Fortaleza.

A rejeição ao nome do ex-ministro, contudo, é mais alta. Para 26% dos entrevistados, um candidato apoiado por Ciro Gomes diminui a chance de voto. A transferência de votos não ocorre para 52% dos entrevistados. 

Bolsonaro

Já o apoio de Jair Bolsonaro a uma candidatura aumentaria em 18% as chances de voto. Contudo, para 44% dos entrevistados, o candidato ser indicado por Bolsonaro diminuiria as chances de voto.

Para 26%, o Governo Bolsonaro foi avaliado como ótimo ou bom, enquanto 47% dos entrevistados apontam a gestão como ruim ou péssima. A avaliação negativa acaba se refletindo no poder de influência do presidente no eleitorado local.

“O índice não melhorou mesmo com o auxílio emergencial. Isso tem que ser avaliado com muito cuidado em relação à campanha do Capitão Wagner”, analisa a professora de Teoria Política da Universidade Estadual do Ceará (Uece), Monalisa Torres.

Apoio 

Apesar de ter dito que não se envolveria nas eleições municipais, Bolsonaro, na semana passada, indicou um apoio à candidatura de Wagner. 

Por sua vez, o candidato do Pros afirmou que recebia “de bom grado” o apoio do presidente. Cleyton Monte completa: “O auxílio emergencial foi reduzido e ele anunciou que só irá discutir a renda básica no próximo ano. Isso acabou esgotando a ascensão da popularidade dele”. 

“Mas é interessante que ele sempre se refere ao Governo Federal na relação institucional nos recursos que são direcionados para os municípios”, completa Monalisa Torres. Para a professora, os índices de rejeição a Bolsonaro devem ser aproveitados pelos adversários para atingir Capitão Wagner - que é líder das intenções de voto na Capital. 

“Por isso, Wagner vai fazer esse movimento meio cá e lá. É alguém que é do conservadorismo, que tem apoio de bolsonaristas. Então, inclusive, eu acho que essa pesquisa vai dar um certo freio no uso dessas figuras por parte dele”, considera Emanuel Freitas.

> Acompanhe notícias sobre as eleições no PontoPoder

Candidato do Pros

Capitão Wagner (Pros) comentou os números do Ibope e de outros institutos. “Temos a preferência do povo de Fortaleza. As pesquisas revelam que podemos conseguir a eleição já no 1º turno”.

Reação no PDT

Sarto Nogueira (PDT) comemorou a intenção de votos de 16%. “Eu não havia disputado uma eleição majoritária. Então, acho esse resultado muito bom”.

Petista comenta 

Luizianne Lins (PT) comentou o resultado da pesquisa do Ibope. “É a confirmação de que a gente está na memória afetiva real da cidade de Fortaleza”.

Índice de rejeição

O candidato Célio Studart (PV) destacou seu índice de rejeição (9%). “Temos espaço para crescer entre os eleitores”, disse. Ele tem 4% das intenções de voto.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política

Assuntos Relacionados